Ucrânia pede missão da ONU em Chernobyl

O país alega que não possui informações sobre o que acontece na região desde a ocupação russa
-Publicidade-
A região está sob controle dos russos desde o início da guerra
A região está sob controle dos russos desde o início da guerra | Foto: Reprodução/Redes sociais

A Ucrânia pediu à Organização das Nações Unidas (ONU) para que envie uma missão internacional para a região de Chernobyl, para avaliar os riscos da antiga usina nuclear, depois da invasão russa.

O pedido foi feito pela vice-primeira-ministra ucraniana, Iryna Vereshchuk, que tem o comando dos territórios interditados de Chernobyl — em 1986, o local sediou o pior desastre nuclear do mundo. Ela chamou a atenção para o perigo que se acumula naquela região.

“A ocupação irresponsável aumenta o risco de fuga de radiação, que poderá atingir toda a Europa”, alertou Vereshchuk.

-Publicidade-

As florestas em volta da central nuclear têm sido alvo de violentos incêndios, e são cada vez maiores os receios de um novo acidente em Chernobyl, que pode voltar a representar um risco à Ucrânia e à Europa.

Segundo as autoridades da Ucrânia, cerca de 10 mil hectares de floresta na zona de exclusão podem ser atingidos por incêndios. “É impossível controlar e extinguir completamente o fogo, devido à captura da zona de exclusão pelas forças de ocupação russas”, escreveu a vice-primeira-ministra.

Sem informações seguras sobre o que está acontecendo no local, que está sob controle dos russos desde o início da guerra, a governante ucraniana apelou às Nações Unidas para que enviem uma missão de peritos capaz de avaliar possíveis riscos.

Chernobyl: protestos contra invasão russa

No fim de semana, moradores de Slavutych, cidade onde vivem os sobreviventes da explosão da usina nuclear de Chernobyl, protestaram contra a ocupação russa. Slavutych fica perto da fronteira com Belarus. O governador relatou que os russos abriram fogo e lançaram granadas de efeito moral para dispersar alguns moradores que tentavam resistir durante uma manifestação, segundo informou a agência de notícias Reuters.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.