As 5 maiores mentiras propagadas por esquerdistas

Oeste selecionou as lorotas mais disseminadas pelos progressistas no Brasil
-Publicidade-
Josef Stalin, Fidel Castro, Vladimir Lenin, Mao Tsé-tung e Karl Marx
Josef Stalin, Fidel Castro, Vladimir Lenin, Mao Tsé-tung e Karl Marx | Foto: Reprodução/Twitter

Balelas, invencionices e mentiras fazem parte da natureza humana. Em excesso, podem indicar transtornos psicológicos graves. Mas pequenas mentiras não apenas são aceitas, como também celebradas, em 1º de abril.

Para não deixar escapar o Dia da Mentira, Oeste selecionou as cinco lorotas mais propagadas por esquerdistas no Brasil.

1) O socialismo funciona

-Publicidade-

A mentira mais disseminada da História. A despeito das experiências sanguinárias conduzidas no século 20, intelectuais continuam a vender as supostas benesses do socialismo. As populações da URSS, da China, de Cuba, do Vietnã e do Camboja, vítimas desse sistema político, não compram a ideia.

2) O capitalismo gera pobreza

Errado. A pobreza foi reduzida drasticamente desde o surgimento do capitalismo. Entre 1800 e 1850, o índice de pobreza era de 95%. Naquela época, a população era constituída de 1 bilhão de pessoas; hoje, somos quase 8 bilhões. Ao mesmo tempo, o índice de pobreza diminuiu para cerca de 10%.

3) A desigualdade é um problema

Para a economista Renata Barreto, não. “A desigualdade que existe dentro do sistema capitalista é natural; o que pode contribuir para diminuí-la são as oportunidades de educação”, argumenta. “Onde você pensa que há mais oportunidades no aspecto educacional, no Japão ou no Afeganistão? Provavelmente, você escolheria o Japão, mas esse país é muito mais desigual que aquele. Os afegãos estão mais equiparados na pobreza, e, no Japão, embora haja desigualdade, a ‘base da pirâmide’ está muito acima da base do Afeganistão, com maior acesso à educação, saúde, lazer e emprego.”

4) O feminismo possibilitou a ascensão das mulheres

Mentira. Depois da invenção de instrumentos que facilitaram as tarefas do dia a dia, como os eletrodomésticos, as mulheres tiveram mais tempo para trabalhar fora de casa. “Os homens, por sua característica genética de ter maior força física, tinham de desempenhar as funções neste sentido: caça, construção de grutas e cabanas, proteger as cavernas, dominar o uso do fogo e guerrear com os rivais para conquistar as terras”, diz Renata.

“No geral, Ocidente e Oriente tinham divisões claras entre os gêneros sobre a participação nas funções da sociedade em virtude de características físicas e biológicas. Isso começou a mudar a partir da Revolução Industrial. Tudo que temos hoje — televisão, ar-condicionado, smartphone, internet — só existe porque alguém percebeu que poderia haver demanda por esses bens e começou a melhorar os processos de produção.”

5) O socialismo é superior ao capitalismo

Sem chance. Cingapura, Suíça, Irlanda, Nova Zelândia e Luxemburgo são os cinco países mais livres economicamente. Depois vêm Taiwan, Estônia, Holanda, Finlândia e Dinamarca, fechando a lista dos dez primeiros. Em alguns desses países, a tributação do Imposto de Renda é alta, mas o imposto sobre consumo é baixo. Além disso, a tributação sobre as corporações é baixa. Nesses lugares, é simples de abrir empresas.

A Estônia viveu 46 anos sob o domínio da União Soviética. Depois disso, adotou uma plataforma política que representa o oposto das ideias esquerdistas. Mart Laar, ex-primeiro-ministro do país, é seguidor do economista Milton Friedman. Baseado nos conceitos liberais, o ex-chanceler idealizou as políticas de reforma tributária, monetária, administrativa e política que fizeram o país alcançar um PIB per capita superior ao do Brasil — US$ 23,7 mil, contra US$ 8,7 mil.

Coreia do Norte, Venezuela, Cuba, Sudão, Zimbábue, Burundi, Eritreia, Irã, Bolívia e República Centro-Africana são os dez países menos livres economicamente. Nenhum deles tem alto Índice de Desenvolvimento Humano (IDH). Não há desenvolvimento tecnológico. A miséria é a regra.

Leia também: “Como funciona a doutrinação marxista”, entrevista publicada na Edição 47 da Revista Oeste

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

10 comentários Ver comentários

  1. Creio valer lembrar que o Japão, embora pequeno geograficamente, sempre foi um terrível inimigo da China, realizando muitos ataques àquele país. Isto em tempos imperiais. Mas o Japão sabia de sua vulnerabilidade econômica e tentou, aliando-se à Alemanha nazista, que fazia uma propaganda internacional desenvolvimentista (e nacionalista), na tentativa de desenvolvimento econômico alinhado ao ocidente pós revolução burguesa. Se deu mal, pois sua aliança com o nazismo não o fez atingir seu propósito. Somente depois do fim da segunda Guerra é que, mudando sua constituição com grande ajuda americana, o Japão surgiu como grande potência. Vale lembrarmos da consolidação das grandes marcas japonesas (Sony, Sanyo, Mitsubishi, Toyota, Honda, Yamaha, etc).
    Diferentemente do Japão, a China fez sua revolução cultural que, basicamente, espoliou os chineses de seus direitos básicos, fazendo uma lavagem cerebral na população e, assim como acontece com todos os outros países do bloco socialista, mente para seu povo e para o mundo, fazendo uma propaganda semelhante à russa que, sabemos, vale ser celebrada no 1º de abril de cada ano.

  2. Ainda não consigo entender por que “progressistas”? Em todos os paises, onde as esquerdas governaram ou estão governando, o atraso e flagrante ou quebraram. Não havia e nem ha desenvolvimento. O povo vivia ou vive na miseria; pobreza total. Como assim progressistas. Todos os governos de ideologia comunista/socialista, são simbolos de atraso, em que, os unicos que vivem bem, como em paises capitalistas, são seus dirigentes. O povo e miseravel.

    1. Boa, kkk… É igual aos sistemas ‘infalíveis’ para se ganhar dos cassinos. Enquanto o apostador tiver de onde tirar dinheiro, o sistema funciona! Já encontrei apostador que se considerava ‘esportista’, pois apostava ‘por esporte’!. Assim como tem gente que rouba dinheiro público se proclamando comunista, trotskista, maoísta, progressista, socialista, etc, (dizendo que rouba por ideologia) mas é apenas vigarista, punguista ou entreguista!

  3. Multiplique-se tudo o que as esquerdas dizem por −1 e achar-se-á (!) a verdade. O resto é fé demais em falsos profetas.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.