Bolsonaro diz que aumento de 39% no gás é ‘inadmissível’

'Que contratos são esses? Que acordos foram esses? Foram feitos pensando no Brasil?', indagou o presidente
-Publicidade-
Presidente Jair Bolsonaro | Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
Presidente Jair Bolsonaro | Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quarta-feira, 7, que o aumento de 39% anunciado pela Petrobras no preço do gás é “inadmissível”. Ele cobrou previsibilidade na política de preços. “Não vou interferir, a imprensa vai dizer o contrário. Mas podemos mudar essa política de preço lá”, disse.

“É inadmissível se anunciar agora, o velho presidente ainda, o reajuste de 39% no gás. É inadmissível! Que contratos são esses? Que acordos foram esses? Foram feitos pensando no Brasil?”, indagou Bolsonaro sobre a postura de Roberto Castello Branco.

-Publicidade-

Leia mais: “Bolsonaro garante que não vai ter lockdown nacional: ‘Estou me lixando para 2022’”

O chefe do Executivo federal afirmou que, em 15 dias, vai reapresentar ao Congresso o projeto de lei que altera a forma de cobrança do ICMS sobre os combustíveis pelos Estados. Segundo o presidente, a população não pode viver com a “sanha arrecadatória” do governo federal e dos governos estaduais.

As declarações foram feitas em discurso na cerimônia de posse do novo diretor-geral brasileiro da Itaipu Binacional, general João Francisco Ferreira. O então presidente da hidrelétrica, general Joaquim Silva e Luna, foi indicado pelo presidente para comandar a Petrobras.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.
-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.