CPI da Covid avalia desistir de acareação entre Onyx e Luis Miranda

Segundo a cúpula da comissão, haveria 'pouco a acrescentar' em relação ao que já foi apurado
-Publicidade-
O ministro do Trabalho e Previdência, Onyx Lorenzoni, seria ouvido pela CPI da Covid
O ministro do Trabalho e Previdência, Onyx Lorenzoni, seria ouvido pela CPI da Covid | Foto: Marcos Corrêa/PR

A CPI da Covid deve desistir de promover uma acareação entre o ministro do Trabalho e da Previdência, Onyx Lorenzoni, e o deputado federal Luis Miranda (DEM-DF) — que diz ter alertado o presidente Jair Bolsonaro sobre supostas irregularidades em negociações do Ministério da Saúde para a compra de vacinas.

Como Oeste informou, o pedido havia sido aprovado pela comissão na semana passada. Ambos deveriam ficar frente a frente na sessão marcada para quarta-feira 18.

Segundo a cúpula da CPI, a acareação teria “pouco a acrescentar” em relação ao que já foi apurado sobre as negociações para a aquisição da vacina indiana Covaxin pelo Ministério da Saúde. A compra foi suspensa pelo governo federal, em meio a suspeitas de irregularidades.

-Publicidade-

Leia mais: “CPI da Covid é um ‘circo’ e ‘precisa acabar’, diz Ricardo Barros”

Depois das declarações de Miranda à CPI, Onyx, que ainda ocupava a Secretaria-Geral da Presidência, convocou uma entrevista coletiva, em que rebateu o que disse o parlamentar. Onyx chegou a colocar em dúvida a autenticidade de documentos apresentados pelo deputado.

Com o provável cancelamento da acareação, a CPI da Covid deve ouvir na quarta-feira o depoimento do ex-secretário de Saúde do Distrito Federal Francisco Araújo. Um dia antes, na terça-feira, será a vez do auditor do Tribunal de Contas da União (TCU) Alexandre da Silva Marques. Na quinta-feira, deve ser ouvido o sócio-administrador da Precisa Medicamentos, Francisco Maximiano.

Leia também: “CPI debocha da covid”, artigo de Guilherme Fiuza publicado na Edição 73 da Revista Oeste

Telegram
-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Meios de pagamento
Site seguro