Deputado quer barrar aportes internacionais em sindicatos

Projeto de lei foi protocolado depois de a Revista Oeste noticiar que o Partido Comunista pôs dinheiro em entidades brasileiras
-Publicidade-
O Fórum das Centrais Sindicais do Brasil recebeu US$ 300 mil (R$ 1,7 milhão, na cotação atual) do PCC
O Fórum das Centrais Sindicais do Brasil recebeu US$ 300 mil (R$ 1,7 milhão, na cotação atual) do PCC | Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil

Depois de a Revista Oeste noticiar que sindicatos brasileiros receberam aporte do Partido Comunista da China (PCC), o deputado federal Paulo Eduardo Martins (PSC-PR) apresentou um projeto de lei (PL) que põe fim à prática. “Agora, os sindicatos brasileiros são comprovadamente braços políticos do PCC. Isso é uma interferência política estrangeira inadmissível. Assim, propus o PL 1124/2021, que proíbe aportes financeiros estrangeiros em sindicatos”, anunciou o parlamentar, no Twitter, na terça-feira 30. A medida aguarda despacho do presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL).

Entenda

Na terça-feira 30, Oeste informou que o Fórum das Centrais Sindicais do Brasil recebeu US$ 300 mil (R$ 1,7 milhão, na cotação atual) do PCC. A entidade nacional reúne CSB, CUT, Força Sindical, UGT, CTB e NCST. Conforme o governo estrangeiro, o dinheiro será destinado às ações de enfrentamento do surto de covid-19. O aporte internacional foi feito por meio da Federação dos Sindicatos da China, ligado ao PCC. Os sindicatos brasileiros salientaram que os recursos serão usados para a compra de cestas básicas aos mais pobres.

-Publicidade-

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

8 comentários

  1. Parabens Revista Oeste. Vamos ver se o PL sera votado a aprovado com celeridade.
    O PCC está cada vez mais ‘botando a cara’ no Brasil. Isso precisa ser monitorado e rechaçado. Fora comunistas!!
    Por que não criam sindicatos em seu país?

    1. Está certo o deputado. Esses oportunistas enquistados nos sindicatos estão com síndrome de abstinência dos recursos que lhes eram destinados pelo erário e dos trabalhadores esbulhados. Que continuem assim, se desintoxicando, e não recaiam no vício, principalmente com dinheiro estrangeiro.

  2. O problema não é =>”“…, os sindicatos brasileiros são comprovadamente braços políticos do PCC.”<=, conforme inserto da matéria. Isso é sabido há muito tempo, a dificuldade é de que os bandidos se mantêm atuantes dentro da política, nos partidos de esquerda, e estes têm voz nos plenários, além do pessoal limitado de Direito nas Varas Cíveis e principalmente no STF.
    Deixamos chegar a esse ponto‼!

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Meios de pagamento
Site seguro