Aras diz que bloqueios em rodovias devem ser desmobilizados nas próximas horas

PGR acompanha as providências adotadas para assegurar liberação das rodovias no país

A Oeste depende dos assinantes. Assine!

-Publicidade-
Caminhoneiros bloqueiam a Rodovia Castello Branco na altura do km 26, em Barueri, na Grande São Paulo, em protesto contra a derrota à reeleição do presidente Jair Bolsonaro - 01/11/2022 | Foto: Aloisio Mauricio/Estadão Conteúdo
Caminhoneiros bloqueiam a Rodovia Castello Branco na altura do km 26, em Barueri, na Grande São Paulo, em protesto contra a derrota à reeleição do presidente Jair Bolsonaro - 01/11/2022 | Foto: Aloisio Mauricio/Estadão Conteúdo

Após reunião on-line com os procuradores-chefes das unidades do Ministério Público Federal (MPF) em todo o Brasil na tarde desta terça-feira, 1º, o procurador-geral da República, Augusto Aras, disse que a expectativa é que medidas adotadas pelo MPF e outras instituições devam desmobilizar bloqueios nas rodovias do país nas próximas horas.

O PGR acompanha as providências adotadas pelo órgão para assegurar o cumprimento da decisão judicial que determinou a liberação das rodovias no país. Além da atuação do próprio MPF e das demais instituições envolvidas, Aras acredita que o pronunciamento do presidente da República, Jair Bolsonaro, que pediu aos manifestantes para respeitarem o direito de locomoção das pessoas, deve ajudar no encerramento das manifestações.

De acordo com ele, o problema está sendo enfrentado de forma adequada, e os procuradores de todo o país contam com o apoio logístico da PGR. “O MPF está unido em torno da solução da crise”, afirmou, enfatizando que as eventuais responsabilidades, se houver, serão apuradas.

-Publicidade-

Situação nos Estados 

Conforme nota divulgada pelo MPF, os procuradores apresentaram breve panorama dos bloqueios em cada local. O Mato Grosso do Sul registra ainda muitos pontos de retenção, enquanto no Rio de Janeiro não há mais nenhuma obstrução total, apenas bloqueios parciais.

No Rio Grande do Norte, o MPF participou de reunião de gabinete de crise e acompanhou a situação nas rodovias federais que registravam apenas três pontos de obstrução. No Pará, as rodovias ainda estão fechadas em 23 pontos, e o MPF instaurou inquérito criminal para apurar responsabilidades, providência adotada também em São Paulo.

Em Minas, não há interdição total de rodovias e foi instalado gabinete de crise. No Amapá, o único ponto de bloqueio em rodovia federal já foi desobstruído. Paraíba e Piauí têm apenas um ponto de retenção parcial em cada Estado. O PGR lembrou que, em cada situação, os membros do Ministério Público Federal devem atuar para garantir a observância dos princípios constitucionais, articulando soluções com outras instituições e apurando eventuais responsabilidades. Os procuradores relataram também que monitoram as redes sociais e as convocações para novas manifestações.

Os bloqueios começaram na noite de domingo, 30, após o resultado das urnas. Os caminhoneiros protestam contra a vitória do presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Até meio-dia, eram 267 pontos de interdição ativos de caminhoneiros, em 22 Estados e no Distrito Federal, sendo que as maiores concentrações foram registradas em Santa Catarina, Pará e Mato Grosso. O ápice dos bloqueios nas rodovias federais ocorreu durante a tarde da segunda-feira 31, com o registro de 421 interdições no país.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

4 comentários Ver comentários

  1. Por que o presidente ainda não admitiu o resultado da eleição presidencial? Simples as FAs monitoraram sim as eleições e há rumores de que PODE TER HAVIDO manipulação ou fraude que estariam sendo elencadas com provas irrefutáveis O QUE A SER VERDADE podem causar sérios problemas que obviamente deverão ser tratados à luz das leis … na MINHA OPINIÃO o comportamento dos membros do TSE principalmente do seu presidente são claros indícios de problemas no mínimo excesso de autoridade e queira Zeus e para o bem da nação não se comprovem mas se ocorrer repito a saída é institucional pois o Estado tem instrumentos de defesa quanto a isto que deveriam ter sido utilizados desde 2020 e não o fizeram por omissão e interesses e agora a coisa pode piorar mas aguardemos.

    1. O Boulos é o famoso garganta profunda da esquerda, e usa todas as suas habilidades de oratória exclusivamente para o pessoal de chapéu vermelho, mas enfrentar manifestação de direita da muito trabalho, e trabalho também é para quem é de direita

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.