Ex-Ibope, Ipec admite erro em pesquisa

Instituto reconheceu equívoco no que diz respeito ao critério que usa para simulações de candidatos no segundo turno
-Publicidade-
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Ex-Ibope, o Ipec transferiu para a segunda-feira 26 a divulgação de uma pesquisa eleitoral estadual. O levantamento seria divulgado amanhã, mas o Ipec recuou depois de identificar um erro em relação ao critério que usa para as simulações de candidatos no segundo turno.

O levantamento considerava apenas o Rio Grande do Sul. “Em 17 de setembro, identificamos um erro com relação ao critério que utilizamos (…), pois um dos candidatos que atingiu dois dígitos nas intenções de voto da pesquisa divulgada em 16 de setembro não havia sido considerado”, informou o Ipec.

“Em face disso, em 20 de setembro, o Ipec retificou o registro feito anteriormente com um novo questionário e uma nova data de execução de campo”, comunicou. “Além disso, cancelou as entrevistas que já haviam sido feitas.”

-Publicidade-

Leia a nota completa sobre o Ipec

“O Ipec informa que, após o registro da pesquisa para o governo do estado do Rio Grande do Sul no TRE e TSE, no dia 17 de setembro, identificou um erro com relação ao critério que utiliza para as simulações de segundo turno, pois um dos candidatos que atingiu 2 dígitos nas intenções de voto da pesquisa divulgada no dia 16/09 não havia sido considerado.

Em face disso, no dia 20/09, o Ipec retificou o registro feito anteriormente com um novo questionário e uma nova data de execução de campo. Além disso, cancelou as entrevistas que já haviam sido feitas. Por essa razão, e considerando o que dispõe a legislação eleitoral sobre o tema, a divulgação da pesquisa ocorrerá em 26/09/2022. Assim, na próxima semana serão divulgadas 2 pesquisas sobre as eleições do Rio Grande do Sul, uma no dia 26/09 e outra no dia 30/09.”

Leia também: “Fábrica de pesquisas”, reportagem publicada na Edição 96 da Revista Oeste

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

29 comentários Ver comentários

  1. Só lembrando: as forças armadas não podem esquecer aqueles núcleos da PF que prestam serviços junto ao STF, cumprindo ordens ilegais, sendo que todos eles são formados em direito.

  2. Posso está falando besteira , como pode entrevistar 3008 pessoas em 183 cidades , ou seja 16,40 pessoas por cidade, e dizer em rede nacional uma pesquisa que foi estadual, que isso reflete o futuro do Brasil , sem contar que é duvidoso aonde foi desta a pesquisa e a forma , é nos chamar de burros .

  3. São pesquisas compradas, IPEC,IPESP,FOIA,EXAME, não refletem o DATA POVO, esse é a verdeira pesquisa, onde Bolsonaro arrebenta com o cachaceiro, tudo leva a crer, se não
    houve fraudes, se elegerá no primeiro turno.

  4. Se a infantil e ridícula “sala secreta” do TSE não for desbaratada em tempo, os bons comentários postados nessa revista perderão alcance junto a uma maioria de eleitores, premeditadamente desinformados pelo consórcio conspirador. No BR atual, parece que não precisa ser profissional do crime para confundir a população e engabelar as FAs.
    Mas é preciso acreditar que a INAÇÃO das FAs seja apenas uma dissuasão militar arquitetada para os 45 do segundo tempo, já incluindo conduções coercitivas em flagrante delito, retenção de passaportes, das marionetes do STF/TSE/STJ/TCU, e quem sabe, arrastar os espertalhões das PMs, P Civil e milicianos.
    SEM ANISTIA e nem DELAÇÃO PREMIADA. Tem que ser no “pêlo” mesmo, sem chance para a banca AMORAL de advogados milionários.

  5. Pesquisa é o kct. Se no dia 2/10, à noite, não for divulgado no mínimo 65% para Bolsonaro e ganho das eleições já no primeiro turno, então tem coisa muito errada aí.

  6. Engraçado que eles querem que a população acredite nesses institutos fraudulentos mas não reconhecem as pesquisas que dão o Bolsonaro em primeiro como por exemplo a enquete em tempo real para presidente do Facebook, onde o capitão esmaga o Lula em todas as regiões, todos os estados ( inclusive em Pernambuco terra natal do ladrão de nove dedos), todas as cidades, resumindo, em tido o Brasil.

  7. Esse Ipec e o Datafolha só existem para enganar os incautos. Contratados pela Globo, quem, em sã consciência, acha que eles farão pesquisas honestas?, já que a Globo passa 24 horas por dia atacando o presidente. Quanto ao Datafolha, que pertence ao UOL e é dona do instituto de pesquisa, está repetindo a mesma fake news que lançaram em 2018, quando, faltando 1 mês para o segundo turno das eleições, divulgou uma pesquisa e que afirmava que o candidato Bolsonaro perderia em todos os cenários.

  8. kkkkk
    Augusto Nunes fez uma aritimética simples. A Amanda aprovou os métodos científicos.
    IBOPE 18 – IPEC 22 – TARCÍSIO DE FREITAS PRESIDENTE DO BRASIL 26

  9. Quero ver qual vai ser a desculpa do Ipec, quando o Tarcísio for eleito Governador de São Paulo no primeiro turno, e o poste ficar em quarto lugar na apuração.

    Se tem um estado, em que o os corruPTos não tem chance alguma de estar em primeiro lugar é o de São Paulo.

  10. No final de uma campanha, quando o datapovo mostra o contrário das pesquisas encomendada$, é preciso começar a fazer alguns ajustes, admitir supostos erros, diminuir margens de erro e de lucro.

    Em 22 é 22, é melhor Jair se acostumando de novo.

  11. Nem queria comentar mas, esse institutos de pesquisas para mim tem a mesma credibilidade de quem acredita que o pablo vitar é mulher e a tamy é homem.

  12. É complicado! O Brasil tem mais de 5000 municípios e as pesquisas ouvem em torno de 2000 pessoas, ou seja, daria menos de meia pessoa por município! Como acreditar nesse tipo de pesquisa, levando-se em conta a necessidade de ouvir o mesmo número de mulheres e homens, o percentual correspondente das classes A, B, C, D e E desses municípios?

    1. Paulo, como 2000 pessoas pode ser um indicativo de um universo de 160 milhões de eleitores!!! Fosse 1%, até poderia ser uma amostra razoável … mas 2000 pessoas e com perguntas que induzem a respostas, é complicado!

    1. O IPEC tem realmente “alta” credibilidade.
      Dizem que talvez estejam no mesmo nível de ciganas, cartomantes, leitores de bolas de cristal, futurologos , economistas de esquerda, arautos do fim do mundo, e assemelhados. Dizem que praticam a chutometria orientada para quem paga mais. Será que é verdade?

  13. Esses institutos são uma PIADA, e de muito mal gosto. Deveriam ser IMPEDIDOS de fazer pesquisas políticas, pq os resultados são POLITICOS. INACEITÁVEL

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.