Em discurso, Bolsonaro rebate ameaças de Joe Biden

"Quando acaba a saliva, tem que ter pólvora", afirmou o presidente da República
-Publicidade-
Foto: Marcos Corrêa/Agência Brasil
Foto: Marcos Corrêa/Agência Brasil | Foto: Marcos Corrêa/Agência Brasil

“Quando acaba a saliva, tem que ter pólvora”, afirmou o presidente da República

em discurso
Democrata tem ameaçado o Brasil | Foto: Marcos Corrêa/Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro rebateu indiretamente as ameaças que o democrata Joe Biden tem feito ao Brasil, entre elas, impor sanções econômicas e reunir o mundo contra nosso país. Dessa forma, para o chefe do Executivo brasileiro, quando acaba o diálogo é necessário “ter pólvora para fazer frente a tudo isso”. “Assistimos há pouco um grande candidato a chefe de Estado dizer que, se eu não apagar o fogo na Amazônia, levanta barreiras comerciais contra o Brasil. Como é que nós podemos fazer frente a tudo isso? Apenas na diplomacia não dá. Porque, quando acaba a saliva, tem que ter pólvora; caso contrário, não funciona. Precisa nem usar pólvora, mas tem que saber que tem”, declarou Bolsonaro ontem, terça-feira 10, em pronunciamento no Palácio do Planalto.

-Publicidade-
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

9 comentários Ver comentários

  1. Prezado Cristyan Costa. Seu artigo apena reproduz a fala do Presidente sem que haja nele algum vestígio jornalístico: apenas uma reprodução que é válida sob o ponto de vista da informação simples. Não obstante , acredito que seria interessante tratar a matéria com a profundidade que ela merece. Com pleno respeito devido aos comentários aqui já expostos( e espero que respeitem o meu) acredito que não é tempestivo rebater comentários deste tipo quando se sabe que os próximos quatro anos do Governo Americano deverão exigir de nossa diplomacia elevado grau de profissionalismo( e não de ideologias) para tratar de pautas importante como a do comércio exterior e a balança comercial entre os dois países. Não é salutar empreender uma discussão inócua que pode sim causar grandes embaraços comerciais com a perda de um grande mercado . A perda de um mercado como o americano pode redundar em uma avalanche de desempregos ( e adensá-lo mais ainda) . As importações americanas em 2019 representaram mais de 30 Bilhões de reais , cuja geração de emprego e renda é inestimável para os setores exportadores. Além de em nada interessar uma guerra comercial que poderá vir de uma retaliação americana, o pior é colocar David versos Golias : é por demais sabido que o poderio militar americano talvez só seja comparável a duas outras nações do globo. O discurso deve ser outro , pois o próprio presidente eleito na América disse que “quer começar do zero com o Brasil” . Demonstrações de “bravezas” soam como bravatas populistas que não interessam ao Estado. As nações não têm amizades, têm interesses. Jogar mais gasolina na fogueira não ajuda um país como o nosso que está a beira do caos econômico e que necessita criar mecanismos diplomáticos para suas desavenças em vez de adensá-las .

  2. Essa fala pode ser interpretada da forma que todos nós interpretamos mas também pode ser interpretada de outra forma, ou seja: Em se esgotando todas as opções diplomáticas, e intervenções econômicas, só restará aos americanos a intervenção militar e com a justa oposição militar deste país e não será uma guerra na concepção clássica mas sim uma guerra na selva no que creio que os gringos não serão malucos o suficiente para encarar. Aí o buraco é bem mais embaixo.

  3. Faz-me rir. Os nossos traidores que aquí residem, ou nos USA, tentam de tudo, seja com a China ou com o democrata (democracia?) Jose Biden. Este que já está entrando mal, mal educado e não respeita a nossa soberania.
    Culpa desse pessoal que faz propaganda errada lá fora, que bota fogo em floresta, óleo em mar e detona barragens, quando não incendeia nossa História. Se enganam esses estúpidos. Na verdade somos mesmo isentões e até passivos, tem que ter coceira nos culhões prá agir de alguma forma. Como fizemos em 2.013, e em 5 anos acabamos com o CONLUIO ENTRE OS 3 PODERES, e já em 2.018 iniciamos a mudança.
    A PRISÃO EM SEGUNDA INSTÂNCIA E O FIM DO FORO PRIVILEGIADO, separará o joio do trigo, determinará o fim da dependência do congresso brasileiro a esse STF que não está a nosso serviço. A DEMOCRACIA é clara: é o SISTEMA EM QUE O POVO EXERCE A SOBERANIA, não funcionários públicos que sequer seriam eleitos, caso se submetessem ao escrutínio eleitoral ou mesmo consulta pública de qualquer natureza!!!

  4. A Venezuela destrata verbalmente os EUA a todo momento e não acontece nada.
    Tem que falar que estamos dispostos a tudo, talvez assim nos levem a sério!
    Um pouco de loucura talvez seja o que precisemos!
    O que o Biden vai fazer, invadir a Amazônia? Na verdade, temos que expulsar as ONGs que já invadiram a Amazônia!

  5. O Brasil está sendo cercado na América do Sul por lideranças COMUNISTAS QUE ESTÃO DE JOELHOS PRA CHINA, ou nos impomos ou seremos engolidos. Entregar nossas riquezas pra tipinhos como Biden e Macron, NEVER!

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.