Em resposta a Fachin, Bolsonaro diz que ‘ninguém quer atacar as urnas’

Ele falou não saber de onde o ministro 'está tirando esse fantasma que as Forças Armadas querem interferir na Justiça Eleitoral'
-Publicidade-
Presidente da República, Jair Bolsonaro | Foto: Reprodução/YouTube
Presidente da República, Jair Bolsonaro | Foto: Reprodução/YouTube

O presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou nesta quinta-feira, 12, não saber de onde o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luiz Edson Fachin, “está tirando esse fantasma que as Forças Armadas querem interferir na Justiça Eleitoral” e declarou que ninguém quer atacar as urnas eletrônicas ou a democracia.

Mais cedo, como mostrou Oeste, o ministro afirmou que quem cuida das eleições são as “forças desarmadas” e que “ninguém e nada interferirá” na Justiça Eleitoral: “Quem vai ganhar as eleições é a democracia. Nós vamos diplomar os eleitos e isso certamente acontecerá. Há muito barulho, mas este tribunal opera com racionalidade técnica”.

-Publicidade-

Bolsonaro disse que os militares continuarão a participar da Comissão de Transparência Eleitoral enquanto a portaria com o convite estiver em vigor. “Enquanto a portaria estiver em vigor, as Forças Armadas foram convidadas, eu como chefe supremo das Forças Armadas determinei que prossigam nessa missão”.

“Não existe interferência, ninguém quer impôr nada, atacar as urnas eletrônicas, atacar a democracia, nada disso. Ninguém tá fazendo aí os atos antidemocráticos”, afirmou o presidente da República na tradicional live das quintas-feiras.

Bolsonaro disse não saber de onde o ministro “está tirando esse fantasma que as Forças Armadas querem interferir na Justiça Eleitoral”. O presidente ainda declarou que “a transparência das eleições, uma eleição limpa, segura, transparente, é questão de segurança nacional”.

Em recado direto à Fachin, Bolsonaro afirmou que o tratamento do ministro aos militares foi “descortês”. “Então, prezado ministro Fachin, a gente não entende essa maneira do senhor se referir às Forças Armadas, que foram convidadas a participar do processo eleitoral”.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

13 comentários Ver comentários

  1. Um STF fora da lei e um TSE sem respeito aos eleitores. E ainda, como contrapeso, um Pacheco que, a exemplo dos presidentes do Congresso anteriores, não passam de bonecos nas mãos do Supremo. Quanta vergonha e quanta mudança é necessária!

  2. A trama do STF para tentar fazer de Lula o novo presidente se desmorona. O STF de dois anos para cá foi lentamente preparando a soltura de Lula porque entendia que seria o único político com possibilidades de bater Bolsonaro nas urnas.O Ladrão não decola e assim o STF e seu primo de molecagens vai tentando por urdiduras vencer as eleições. Esquece-se de que seus ocupantes podem ter que desocupar a sede das maracutaias.

  3. Recadinho ao Fachin:

    “Há tantos burros mandando em homens de inteligência, que, às vezes, fico pensando que a burrice é uma ciência”. António Fernandes Aleixo (1899 – 1949), poeta português.

    E também há tantos homens desonestos e corruptos mandando em homens probos que por vezes imagino ser a desonestidade e a corrupção uma virtude.

  4. O que “fachin” diz não é para ser levado em conta. Tanto as bobagens que diz em matéria de politica – totalmente analfabeto – como às decisões jurídicas baseadas em militância. É um advogado militante, portando (imerecida) toga, reservada aos de saber jurídico e conduta ilibada, ambos em falta nesse senhor.

  5. Ora, ora, ora, tá uma gracinha o PR tentando argumentar com o ste, como se eles ouvissem qualquer tipo de argumento, tão nem aí, não existe nenhuma razoabilidade naquilo que o ste está fazendo com as eleições no Brasil, algo totalmente sem confiabilidade, empurrando guela abaixo um sistema cheio de vulnerabilidades para o próximo mês de outubro… Creio que vão conseguir…

  6. Por ter sido advogado do MST, cabo eleitoral de Dilma, a qual o conduziu para a vaga de ministro, o Sr. Fachin devia ficar de fora do processo, haja visto o seu alto grau de comprometimento com a esquerda, em especial o PT. Um ministro não pode ter lado político, na função, e isso gera naturalmente muita desconfiança sim, tendo em vista a polêmica segurança dessas urnas, cheias de segredos e garantias vazias. Como dizia o atual ministro Moraes, na sua sabatina no senado, quem entra na vida pública está sujeito a críticas, não pode se ofender por contrariedades.

  7. Está com medo do que fachin? O nove dedo vai entregar vcs? O exército é a instituição de maior respeito, o que vcs estão pretendendo?

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.