Em São Paulo, caminhoneiros protestam contra Doria

Aumento do ICMS motivou a manifestação
-Publicidade-
Expectativa é que 900 veículos participem do ato de hoje
Expectativa é que 900 veículos participem do ato de hoje | Foto: Reprodução/TV Globo

Caminhoneiros promovem um “buzinaço” contra o governador João Doria (PSDB-SP) nesta quarta-feira, 27, devido ao aumento do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) na cidade de São Paulo. O ato ocorre na capital paulista. Por volta das 8 horas, os veículos se reuniram defronte ao Estádio Municipal do Pacaembu, na Zona Oeste, e saíram em direção a quatro locais: o Palácio dos Bandeirantes, sede do governo estadual, no Morumbi, na Zona Sul; a sede da Secretaria da Fazenda; e marginais do Pinheiros e do Tietê.

O número total de caminhões envolvidos no ato não foi divulgado, mas a expectativa dos organizadores é que cerca de 900 veículos participem da manifestação. No ano passado, o tucano aprovou um pacote de ajuste fiscal na Assembleia Legislativa para aumentar a arrecadação do governo. A justificativa foi a queda da receita por causa do isolamento social. À época, o governo recuou após manifestações democráticas, porém manteve o aumento para outros produtos, como a carne, o leite e o feijão. O protesto de hoje é por esse motivo.

Veja imagens

-Publicidade-

Comunicado da gestão Doria

“Desde o ano passado, o governo de São Paulo dialoga com o setor sobre a redução de benefícios fiscais. Como resultado destas conversas, em dezembro concedeu o benefício de crédito outorgado para carne e frango. O protesto de hoje é uma manifestação de caráter político, incentivada por setores ligados ao bolsonarismo, que buscam não o diálogo, mas o desgaste do governo paulista.

Em São Paulo, os frigoríficos já contam com o benefício de redução de base de cálculo, que faz com que o setor pague imposto muito menor que a alíquota padrão, de 18%. A carga tributária é de 11,2% nas vendas para consumidor final e 7% nas demais vendas dentro do Estado, como para açougues e supermercados, por exemplo.

Por determinação do governador João Doria, não haverá redução de benefícios fiscais para produtos da cesta básica de alimentos e de remédios, insumos agropecuários usados na produção de alimentos e para medicamentos genéricos. Foi criada uma força-tarefa das secretarias da Fazenda; Projetos, Orçamento e Gestão; Desenvolvimento Econômico; e Agricultura, que está dedicada para aplicar a determinação do governador para revogar as mudanças no ICMS de insumos agropecuários para a produção de alimentos e de medicamentos genéricos. Foram feitas as alterações necessárias para acomodar as mudanças nas medidas de redução de benefícios fiscais.”

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

8 comentários Ver comentários

  1. Esse mau caráter Doria que foi meu candidato para prefeito e governador, não tem moral para falar em manifestação politica de bolsonaristas, quando ele é o maior traidor nacional contra seu próprio partido e contra Bolsonaro que o ajudou a conquistar o governo de São Paulo. Creio que já é doença mental, sua obsessão pelo poder.
    Devo dizer ao Doria que fui tucano desde a fundação do PSDB e só me filiei para apoiá-lo nas prévias a prefeitura de São Paulo, e hoje com muito orgulho sou sim esse bolsonarista que entende que ele e o PSDB envergonham seus antigos apoiadores. Lula deve estar morrendo de rir vendo FHC em manifestos com Boulos, Ciro, Haddad e até Jean Willys juntos com celebridades decadentes tucanas em lives e manifestos para derrubar Bolsonaro.
    É necessário apoiar o voto impresso, pois entendo que sem ele vai ser a derradeira tentativa de derrubar o bom governo de Bolsonaro. Informo que aos 75 anos, até recentemente nem conhecia Bolsonaro, mas hoje tenho certeza que não há nada melhor para consertar nosso pais. FHC, vai descansar e ler teus “diários da presidência” para fazer uma reflexão da IRRACIONALIDADE de tua conduta atual. Deixa de ser PAVÃO metido a diplomata e enganar pessoas de bem, que outrora confiamos em você.

    1. Concordo em gênero, número e grau com você. Também fui enganado pelo PSDB, durante anos a fio. Tenho 64 anos e posso afirmar que Bolsonaro é o presidente mais alinhado com os interesses do povo brasileiro, dentre todos os que conheci.

  2. Hoje em dia qualquer opinião contrária às ideias e decisões do mainstream são creditadas a bolsonaristas, independente de quão absurdas e contra o bom senso podem parecer.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.