Indígenas protestam em frente ao Palácio do Planalto

Manifestantes chamaram o ministro Alexandre de Moraes, do STF, de 'ditador'
-Publicidade-
O cacique Sererê, da tribo Xavante, fala contra Lula (PT) em frente ao Palácio do Planalto neste domingo, 4 | Foto: Reprodução/Redes Sociais
O cacique Sererê, da tribo Xavante, fala contra Lula (PT) em frente ao Palácio do Planalto neste domingo, 4 | Foto: Reprodução/Redes Sociais

Indígenas protestam neste domingo, 4, contra a vitória do presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), em frente ao Palácio do Planalto, em Brasília. Imagens que circulam nas redes sociais mostram os indígenas da tribo Xavante, Enawene Nawe (Mato Grosso) e Kaiapó (Pará) proferindo ofensas contra o petista. “Bandido!”, gritou um deles.

“Lula não vai governar o país”, declarou o Cacique Sererê, da tribo Xavante. “Lula não vai tomar posse. Forças Armadas salvem o Brasil. Eles querem roubar o Brasil e vender a Amazônia. Lula representa tudo de pior para o Brasil. Infelizmente, o Supremo Tribunal Federal tirou esse bandido da cadeia para roubar os nossos votos. O Exército brasileiro defende o povo.”

Ainda foi possível ouvir os manifestantes chamarem o ministro Alexandre de Moraes, do STF, de “ditador”. Outras pessoas também se juntaram ao grupo de indígenas. A tropa de choque esteve presente, mas deixou o local pouco tempo depois. No ato, a tropa foi aplaudida pelos manifestantes.

O grupo é vinculado ao acampamento em frente ao quartel-general do Exército, onde pessoas se manifestam, pacificamente, contra o resultado das eleições.

Conforme apurou Oeste, o objetivo do protesto era “deixar um recado” ao ministro Paulo Sérgio Nogueira, da Defesa, e ao presidente Jair Bolsonaro (PL) de que os manifestantes exigiam a “instauração do artigo 142 da Constituição e a prisão de Moraes e Lula”. No final desta manhã, os ativistas retornaram ao acampamento em frente ao quartel-general do Exército.

Contra Lula, indígenas protestam no aeroporto

Na tarde da sexta-feira 2, um grupo de indígenas ocupou o Aeroporto Internacional de Brasília. O protesto também era contra o presidente eleito.

Os manifestantes, que são do povo Xavante (Mato Grosso) e Kaiapó (Pará), exibiram cartazes contra a censura no país e com a frase: “Mundo, o Brasil pede socorro”. Os escritos foram registrados em português e inglês. “Imprensa corrupta não mostra a verdade para o mundo”, informou um deles.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

15 comentários Ver comentários

  1. Tem representantes de várias etnias em Brasília. No dia 15 apareceram cerca de 2 mil índios no QG.
    Eles denunciam o ROUBO DE TODOS OS VOTOS DAS ALDEIAS PARA O LADRÃO.
    👏👏👏👏👏👏👏👏

  2. Congresso?
    Se safa cara!!!
    O país tá lá na,frente.
    DOS QUARTÉIS.
    É O recomeço. Não o fin-lab.
    Trocentas X não conseguí entender quanta insanidade!!!
    Bora lá cantar o hino!!!

  3. Alguém precisa avisar ao cacique que ninguém no Brasil é mais corajoso do que o cabeça de ovo. Bolsonaro e FFAA não tem coragem e só pensam na comunidade internacional e na imprensa.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.