Justiça bloqueia R$ 70 milhões de investigados por fraude em plano de saúde

Suspeitos foram alvos da Operação Loki, deflagrada pela Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF)
-Publicidade-
Mandados de busca e apreensão foram cumpridos no Distrito Federal
Mandados de busca e apreensão foram cumpridos no Distrito Federal | Foto: Divulgação

A Justiça do Distrito Federal mandou bloquear até R$ 70 milhões em contas de suspeitos que teriam desviado valores milionários de uma empresa de plano de saúde. Gestores e funcionários da firma foram alvos da Operação Loki, deflagrada pela Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) nesta quarta-feira, 20.

A ação ocorreu simultaneamente no Distrito Federal, em Goiás, Mato Grosso e Rondônia. Na capital federal, buscas foram cumpridas no Setor Comercial Sul, Setor de Indústria e Abastecimento (SIA), Guará, na Asa Norte, em Águas Claras, na Colônia Agrícola Riacho Fundo e no Gama. No total, foram expedidos 15 mandados de busca e apreensão em endereços ligados aos investigados.

Policiais da Coordenação de Repressão aos Crimes Contra o Consumidor, a Propriedade Imaterial e a Fraudes (Corf) analisaram 380 mil movimentações bancárias e fiscais registradas entre 2013 e 2018. Segundo a PCDF, diretores, contadores e alguns funcionários do plano de saúde desviaram ilegalmente dinheiro para microempresas vinculadas a amigos e familiares dos próprios dirigentes, sem a existência de contratos formais e emissão de notas fiscais que dessem suporte às transações.

-Publicidade-

Leia também: “Idosos na mira dos planos de saúde”

Com informações do Metrópoles

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.