Revista Oeste - Eleições 2022

Prévias do PSDB estão em risco, diz Tasso Jereissati

Senador afirmou que a instabilidade do aplicativo provocou alta abstenção
-Publicidade-
As prévias do PSDB foram suspensas no domingo 21, devido a “problemas técnicos”
As prévias do PSDB foram suspensas no domingo 21, devido a “problemas técnicos” | Foto: Divulgação/PSDB

Tasso Jereissati (CE), senador e ex-presidente do PSDB, disse que, se a instabilidade do aplicativo provocar alta abstenção, a legitimidade das prévias do PSDB estará em risco.

A declaração do apoiador do governador gaúcho, Eduardo Leite, foi dada no domingo 21, durante votação das prévias do PSDB.

Apesar dos problemas causados pela ferramenta e das trocas de farpas entre os candidatos, Tasso considerou a disputa positiva para a legenda porque “acendeu a militância”.

-Publicidade-

Tasso relatou que recebeu dezenas de mensagens reclamando da instabilidade da ferramenta de votação.

“O aplicativo está dando problema e as pessoas não estão querendo votar, estou constantemente recebendo notícias nesse sentido, essa é uma preocupação”, afirmou no fim da manhã de domingo.

Questionado se esse problema poderia levar a decisão para as vias judiciais, Tasso respondeu que caberá à direção nacional do partido resolver o impasse.

“Se a abstenção for muito grande em função de não se conseguir votar no aplicativo, acho que a Executiva do partido vai ter que tomar uma decisão sobre as prévias do PSDB”, acrescentou.

Prévias foram suspensas por problemas no aplicativo

As prévias do PSDB foram suspensas no domingo 21, devido a “problemas técnicos” no aplicativo da legenda. Iniciada às 7h , a votação estava prevista para ser encerrada às 15h, com a divulgação do resultado às 17h.

Até as 17h, apenas 10% dos inscritos para votar nas prévias do partido tinham conseguido registrar seus votos. O presidente estadual do PSDB de São Paulo, Marco Vinholi, informou que o app ficou fora do ar por 4 horas e 30 minutos.

Não há plano B

O PSDB não tem plano B, caso o aplicativo das prévias não funcione. Essa é a análise feita por assessores do governador de São Paulo, João Doria, e do ex-prefeito de Manaus Arthur Virgílio, neste domingo, 21.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

9 comentários Ver comentários

  1. Não tem preço ver a “tucanalha depenada” afundando no seu próprio e fétido pântano juntamente com seus irmãos siameses os “petralhas corruptos”.
    Os caras inventam um aplicativo para burlar a votação do próprio partido, IMAGINEM ESTA GENTE GOVERNANDO O BRASIL, é só olhar para São Paulo onde o “maníaco do Morumbi e “sócio” dos chineses fechou tudo e foi para Miami” e no Rio Grande do Sul o “tiranete Ed Milk” fechou até gôndola de supermercado para oprimir os gaúchos.
    Em 2022 serão extintos da vida pública.

  2. Aê redação:
    Perguntem ao Arthur Virgílio se:
    a) ia a praia em frente a Xavier da Silveira em Copacabana;
    b) se ele levava um pulseirāo de prata;
    c) se na pulseira tinha gravado: Amor de pica é o que fica;
    d) se ele pedia às meninas segurar a pulseira enquanto is mergulhar.
    Um anjo me contou.

  3. Mesmo que os três candidatos às prévias do se unam, as pretensões presidenciais já foram para o vinagre. Provavelmente foi solicitada a produção do software num tempo extremamente curto, sem exaustivos testes. Temos visto outras situações em que a pressa na finalização de algo para aproveitar as condições favoráveis traz resultados até trágicos. Aproveitar a experiência dos outros é sinal de inteligência, não de esperteza.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.