Senado aprova MP da Eletrobras; veja a posição de senadores

Votação foi acirrada e placar terminou em 42 votos favoráveis e 37 contrários
-Publicidade-
Presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, conduz sessão | Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado
Presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, conduz sessão | Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado

Por 42 a 37, o Senado aprovou nesta quinta-feira, 17, a medida provisória que abre caminho para a privatização da Eletrobras, estatal de geração e transmissão de energia. A MP é uma das prioridades do governo Bolsonaro. O tema causou, principalmente pela inclusão de pontos diferentes do texto original, os chamados “jabutis”.

O relator, senador Marcos Rogério (DEM-RO), fez vários ajustes para viabilizar a aprovação do projeto. Com as mudanças, o texto voltará para uma segunda análise na Câmara dos Deputados e precisa ser aprovado até a próxima terça-feira, 22, ou perderá a validade. Leia abaixo a posição de alguns senadores durante a sessão:

Leia mais: “Tereza Cristina quer solucionar problema do desperdício de alimentos”

-Publicidade-

Fernando Bezerra (MDB-PE)

“Nós estaremos fazendo história, dando um passo importantíssimo para um novo Brasil, mais igual, mais justo e mais equilibrado”.

Alvaro Dias (Podemos-PR)

“Não é um passo à frente esta privatização, é um retrocesso. Capitalizar a Eletrobras é fundamental, mas não com todos esses equívocos”.

Marcos Rogério (DEM-RO)

“Todo o esforço feito foi para garantir a aprovação da medida provisória, com a capitalização da Eletrobras, devolvendo a ela o protagonismo no setor elétrico, a capacidade real de investimento para modernização do parque de geração e de transmissão, com foco, sobretudo, na modicidade tarifária, na redução do preço da energia”.

Simone Tebet (MDB-MS)

“Eu estava pronta para votar favorável à medida provisória original do governo. Já havia me pronunciado, inclusive perante a mídia. […] É lamentável o que eu tenho a dizer, porque eu já estou aqui declarando o meu voto contrário, alguém que sempre votou pela agenda liberal que tenho, favorável a medidas como essa”.

Izalci Lucas (PSDB-DF)

“Estou entre aqueles que defendem a redução do papel do Estado na economia, mas isso não pode ser feito de qualquer maneira. A população das diversas regiões do país não pode ficar a deus-dará. […] A MP, como está, deve aumentar as tarifas de energia, afetando principalmente as pessoas menos favorecidas”.

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

5 comentários

  1. Para uma opinião seria necessário conhecer as alterações aceitas pelo relator e ver se não inviabiliza a privatização. Acredito que não, mas de qualquer forma, em princípio, sou favorável às privatizações.

  2. Privatização tem que ser pra ontem ! O maior lucro na venda de uma estatal, não é o volume de recursos que entram nos cofres da união mas sim, a extinção da ingerência política !

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site