Senadora quer igualdade entre homens e mulheres… nos nomes de ruas

O projeto de Eliziane Gama (Cidadania-MA) tem como objetivo 'ressaltar o empoderamento feminino'
-Publicidade-
Elizane Gama (Cidadania-MA) | Foto: Leopoldo Silva/Agência Senado
Elizane Gama (Cidadania-MA) | Foto: Leopoldo Silva/Agência Senado

A senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA) apresentou um projeto  para estabelecer o porcentual mínimo de 30% para cada sexo na denominação de bens públicos. A proposta altera uma lei de 1977 e tem como objetivo “reforçar a promoção da igualdade entre os sexos e ressaltar o empoderamento feminino na sociedade”, segundo a parlamentar.

A possível mudança gerou grande reação nas redes sociais. “Uma hora querem linguagem neutra, na outra já querem dividir os nomes em dois sexos”, escreveu um internauta. “As incoerências são sem fim”. Outro usuário ironizou: “Com essa lei a qualidade de vida da população brasileira vai melhorar”.

-Publicidade-

O projeto da senadora ainda será analisado nas comissões. Gama afirmou que modificar o procedimento de nomeação de logradouros públicos pode parecer pouco, mas são “ações como essas que podem reverter a invisibilidade histórica das mulheres”.

Mulheres e homens devem possuir os mesmos direitos e deveres na sociedade.  A promoção da igualdade e também do empoderamento feminino pode começar pela justa e equitativa atribuição de nomes a endereços e também a edifícios públicos das cidades”.

Dados do IBGE, de 2019, mostram que a cada 100 endereços públicos, 47 levam nomes de homens e apenas 11 levam nomes de mulheres, conforme Eliziane.

De acordo com a Rádio Senado, uma pesquisa feita pela ONG Ateliê Ambrosina, em 2018, 83% das ruas de Maceió homenageiam homens. São 3.300 mil nomes masculinos e pouco mais de 650 femininos.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

28 comentários Ver comentários

  1. Lamentável essa manifestação, o que se aplica a todos os políticos.
    Querem que vens públicos tenham seus nomes eternizados, como se foram eleitos para serem paparicados.
    Deveriam sugerir que nenhum bem público deveria ter nome de político. Eles só pensam neles. Depois de eleitos, querem se reeleger, e assim o fazem para alcançar seus objetivos, nos próximos anos, até a próxima eleição. E, assim caminha a humanidade!

  2. Uma das maiores características dos limitados, dos esquerdistas, é realmente não possuir a mínima noção de bom senso.
    Que triste!

    1. Kkk… Faça as peguntas abaixo e ela acerta todas na lata!
      -Quanto é 1 dividido por 1, senadora? -Hum?
      -Quanto é 99 – 98, senadora? -Hum?
      -Qual é a raiz quadrada de 1, senadora? -Hum?
      -Quanto é 1 vezes 1, senadora? -Hum?

  3. Daqui a pouco vão querer também a cota dos LGBTKIAWUDFARDQCBXZKL para nomes de rua também, e exigir que as fachadas dos imóveis sejam pintadas nas cores do arco-iris.

  4. Os moradores da respectiva rua que devem escolher o nome, até mesmo trocar aqueles nomes de ditadores comunistas, assassinos, corruptos, tais como: Lenin, Stalin e …

  5. Sou favorável a um Projeto de Lei que proíba dar nome de pessoas, vivas ou mortas, a ruas, avenidas, pontes, viadutos, etc .
    Assim acaba essa palhaçada de homenagear ilustres que geralmente só merecem o esquecimento.

  6. Tão competente que fala em igualdade de 30% e 70%, se vai fazer mierd@ que faça completa.
    Para alguém que disse que a cada mulher morta, duas são negras não é de duvidar de mais nada.
    Que tipo de eleitor vota nela?

    1. Essa ilustre Senadora faltou em todas as aulas de matemática, não sabe nem contar até três, mas em lacração ela é Doutorada. Eu não consigo entender onde vive uma mulher destas que não tem a mínima vergonha na cara.

  7. Alguém sabe o nome da mulher de Pedro Álvares Cabral ? Sabem informar se ela estava na embarcação no dia do descobrimento ? Quem pode nos garantir que quem descobriu o Brasil foi ele e não ela ?

  8. E triste imaginar que esta descerebrada é uma usurpadora do dinheiro público eleita pelo povo do Maranhão cujo IDH é o segundo pior, lamentável.
    Qual o pior IDH do Brasil?
    Os piores resultados se concentram no Norte e Nordeste. Alagoas está em 26º lugar, com IDHM de 0,683; o Maranhão, segundo pior, teve índice de 0,687. Em 24º lugar no ranking de IDHM nacional está o Piauí, com 0,697.

  9. Tanta coisa pra se preocupar e colocar em votação, como na área da segurança o povo está cansado de ser roubado e ter que ficar quieto ,aí vem este pessoal ficar se preocupando com nome de rua afff

  10. ESSA SENADORA DEVERIA TER A DECÊNCIA DE ENTENDER QUE A MULHER BRASILEIRA NÃO QUER NOME DE RUA, MAS QUER SER TRATADA COM RESPEITO E COM UM MÍNIMO DE EDUCAÇÃO! LAMENTAVELMENTE, ESSA SENADORA, BEM COMO OUTRAS DA TAL BANCADA FEMININA, NÃO TIVERAM A DIGNIDADE DE DEFENDER MULHERES MÉDICAS, QUE FORAM COVARDEMENTE MALTRATADAS NA RIDÍCULA CPI POR MACHÕES PSEUDO COMPETENTES, QUE SE ABRIGAM EM UM CARGO ELETIVO, AO INVÉS DE EXERCEREM SUAS PROFISSÕES DE FORMAÇÃO ACADÊMICA, NAS QUAIS, CERTAMENTE, ESBANJAM MEDIOCRIDADE!

    1. Pois é, na Bahia, em Feira de Santa, no Bairro Campo Limpo (cep 44033133) tem uma rua que poderia ter o nome trocado peo nome da senadora. Atualmente é Rua Biruta.

      1. Corrigindo: Feira de Santana e pelo nome. Desculpem!

  11. Impressionante a capacidade que eles tem para projetos que não servem para nada, pessoas morrendo, passando fome, desemprego lá em cima e nobre senadora com um projeto desses.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.