Serra pede ajuda ao STF em inquérito sobre caixa 2

Senador solicita direito ao foro privilegiado; Gilmar Mendes será o relator da ação
-Publicidade-
O senador José Serra (PSDB) é investigado pela Polícia Federal | Foto: VALTER CAMPANATO/AGÊNCIA BRASIL
O senador José Serra (PSDB) é investigado pela Polícia Federal | Foto: VALTER CAMPANATO/AGÊNCIA BRASIL | O senador José Serra (PSDB) é investigado pela Polícia Federal | Foto: VALTER CAMPANATO/AGÊNCIA BRASIL

Senador solicita direito ao foro privilegiado; Gilmar Mendes será o relator da ação

serra
O senador José Serra (PSDB) é investigado pela Polícia Federal
Foto: VALTER CAMPANATO/AGÊNCIA BRASIL
-Publicidade-

Enrolado na Justiça, José Serra (PSDB-SP) apelou ontem ao Supremo Tribunal Federal (STF). O parlamentar solicitou o direito ao foro privilegiado na ação que o implica por suposto caixa 2 na campanha ao Senado em 2014. Em síntese, Serra quer que o caso fique nas mãos dos ministros.

Contudo, isso só seria possível na hipótese de o crime ter relação direta com o mandato. No pedido, a defesa do senador argumenta que o inquérito contra ele investiga fatos que vão além da campanha de 2014. E dizem respeito ao mandato no Senado. Portanto, deve ser suspenso e enviado à Corte.

Leia também: Na mira da PF, José Serra está ‘internado’ em spa

“É inadmissível que uma investigação contra um senador da República, por fatos alegadamente praticados no mandato em curso e a ele relacionados, seja subtraída do controle desse Supremo Tribunal Federal”, sustentam os advogados do senador na ação enviada aos ministros.

Assim sendo, o relator da ação no STF será o ministro Gilmar Mendes. Em 2002, ele foi escolhido pelo ex-presidente FHC para ocupar uma cadeira no Supremo. Serra é alvo da Operação Paralelo 23. Ele teria recebido R$ 5 milhões do empresário José Seripieri Júnior, preso pela Polícia Federal.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias.
Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.
-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.