STF encerra inquérito contra ministro do TCU e ex-deputado do PT

Vital do Rêgo Filho e o petista Marco Maia teriam atuado para beneficiar construtora em escândalo de corrupção na Petrobras
-Publicidade-
Ministros entenderam que não há elementos fortes de acusação
Ministros entenderam que não há elementos fortes de acusação | Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Por três votos a dois, a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) encerrou um inquérito contra Vital do Rêgo Filho, ministro do Tribunal de Contas da União, e Marco Maia, ex-deputado do PT. Réus na Lava Jato, ambos haviam sido denunciados pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. Na terça-feira 6, os juízes do STF consideraram que não há elementos que justifiquem a continuidade das apurações, já que a denúncia do Ministério Público Federal baseou-se apenas em delações premiadas. Dessa forma, os magistrados determinaram o arquivamento das investigações, o encerramento das ações penais e a revogação das medidas de bloqueio de bens.

“Fachin arquiva inquérito contra Rodrigo Maia”

Histórico

-Publicidade-

Vital do Rêgo Filho e Marco Maia foram acusados de recebimento de propina de modo a evitar que os executivos da construtora OAS fossem convocados com a finalidade de prestar depoimento nas comissões parlamentares de inquérito da Petrobras. Vital do Rêgo, que foi presidente da CPMI da Petrobras, teria recebido R$ 3 milhões para a campanha eleitoral de 2014, segundo a denúncia do MPF. Marco Maia foi relator da comissão.

Votos

Os ministros Edson Fachin e Cármen Lúcia votaram pela manutenção do inquérito. Gilmar Mendes, Ricardo Lewandowski e Nunes Marques decidiram pelo arquivamento.

Leia também: “A operação que mostrou que todos são iguais perante a lei”, reportagem publicada na Edição 21 da Revista Oeste

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

9 comentários Ver comentários

  1. É engraçado como o SISTEMA funciona sem despertar suspeitas… o MPF abre um inquérito, visando uma ação penal, provavelmente sem qualquer espécie de provas concretas, com base em delações premiadas que noticiam o recebimento de valores expressivos – R$3.000.000,00 (três milhões de reais). O arquivamento pelo STF deve se ater à questão da prova que certamente não foi rastreada. Os Ministérios Públicos Estaduais atuam da mesma forma… e assim justificam sua existência, porém, não atacam efetivamente o problema. E todos vivem felizes para sempre! Com os bolsos entupidos de dinheiro público…

    1. Cara,depois do Gedel ser absolvido, já não creio em mais nada do sistema de justiça.
      Si quer si dar bem é bom você ter uma boa posição social e financeira, pq “justiça” custa caro nesse país

    1. E ele foi avisado exaustivamente, assim quanto, ao Augusto Aras… Não vejo esse governo contra a corrupção nas frentes mais importantes. Pq não adianta o governo não si meter na velha política, si a indicação para cargos extremamente relevantes possui nomes da velha política

  2. Então foi tudo disputa de poder entre facções? NINGUÉM ROUBOU, ninguém entra na justiça contra ninguém, os grandes escritórios ficaram abarrotados, e só falta arrancar a bola de futebol fo Lula, em mais duas contendas, porque ele botou a bufunfa debaixo do sovaco!!!
    Os livros de estória continuarão sendo referendados pelo Haddad.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.