Terceira via: Moro se encontra com Eduardo Leite

Mais um passo nas articulações para um acordo contra a bipolarização Bolsonaro-Lula
-Publicidade-
Os tucanos João Doria e Eduardo Leite, quando governavam São Paulo e Rio Grande do Sul | Foto: Reprodução/PSDB
Os tucanos João Doria e Eduardo Leite, quando governavam São Paulo e Rio Grande do Sul | Foto: Reprodução/PSDB

O ex-juiz e ex-ministro Sérgio Moro (União Brasil) se encontrou neste sábado, 2, em São Paulo, com o ex-governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB). Foi mais um lance de uma intrincada engenharia política em que potenciais candidatos ao Palácio do Planalto buscam um entendimento capaz de confrontar a bipolarização entre o presidente Jair Bolsonaro (PL) e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que até agora se mantêm como os principais nomes da disputa. Uma terceira parte do tripé alternativo está representada pelo MDB e sua pré-candidata, a senadora Simone Tebet.

Moro divulgou uma nota. “Conversei com Eduardo Leite sobre o momento político do país e sobre a necessidade de união do centro que está sendo liderada no União Brasil por Luciano Bivar”, referência ao presidente do União Brasil, partido resultante da fusão entre DEM e PSL. A assessoria de Leite limitou-se a afirmar que a agenda era “reservada”. Nenhum dos dois informou horário ou local do encontro.

Moro se encontrou ontem com Simone Tebet. Pelas redes sociais, repetiu o lema “união do centro” e comentou: “Democratas não podem se conformar com os autocratas Lula/Bolsonaro. Precisamos da indignação e do apoio de todos os brasileiros de bem.” Apesar de sua desenvoltura pública, Moro enfrenta dificuldades internas depois que trocou o Podemos pelo União Brasil. Setores do partido garantem que houve um acerto para que ele desistisse da corrida presidencial (o que ele chegou a anunciar) e limitasse suas aspirações a uma candidatura de deputado, federal ou estadual, talvez a senador, no máximo.

-Publicidade-

Terceira via difícil

Leite chegou a se aproximar do PSD, mas permaneceu no PSDB, mesmo derrotado nas prévias pelo governador de São Paulo, João Doria. Ele continua se movimentando, dando a impressão que conta com alguma mudança de rumo no partido, diante do fraco desempenho de Doria nas pesquisas eleitorais. E Doria criou uma grande expectativa na quinta-feira, 31, quando durante todo o dia circularam informações desencontradas sobre uma revisão em seu projeto. Afinal, ele deixou o cargo para o vice Rodrigo Garcia, e obteve uma palavra de apoio da cúpula tucana no sentido de que a convenção formal deverá confirmar seu nome para as urnas de outubro.

A etapa seguinte das articulações em torno de um acordo na chamada terceira via deve ocorrer na próxima semana. Está prevista uma reunião entre os presidentes do PSDB, Bruno Araújo, Roberto Freire, do Cidadania (que formou uma federação com o PSDB), Baleia Rossi, do MDB, Luciano Bivar, do União Brasil.

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.