Tribunal Superior Eleitoral | Foto: Montagem Revista Oeste/ LR Moreira/Secom/TSE/Shutterstock
Tribunal Superior Eleitoral | Foto: Montagem Revista Oeste/ LR Moreira/Secom/TSE/Shutterstock

A inspeção do restaurante TSE

O resumo do relatório elaborado pela Defesa em português claro é o seguinte: o TSE opera uma caixa-preta, e ainda dificultou o acesso e a flexibilidade dos testes por parte dos militares

Saiu o relatório tão esperado do Ministério da Defesa sobre as urnas eletrônicas. Curiosamente, a divulgação produziu dois efeitos contraditórios: preocupação na velha imprensa esquerdista, e decepção na direita bolsonarista. Os veículos de comunicação que defenderam a candidatura de Lula tentaram desviar o foco do essencial, enquanto os bolsonaristas esperavam uma linguagem mais enfática dos militares.

Ocorre que não era possível “apontar fraudes”, como alguns desejavam. Basicamente, eis o que o TSE disse para as Forças Armadas: pode fiscalizar meu restaurante à vontade, só não entra na cozinha! O resumo do relatório em português claro é o seguinte: o TSE opera uma verdadeira caixa-preta, e ainda dificultou o acesso e a flexibilidade dos testes por parte dos militares.

Setor de Assinatura Digital e Lacração dos Sistemas Eleitorais | Foto: Alejandro Zambrana/Secom/TSE

A essência do relatório dos militares, portanto, é que não há qualquer transparência no processo eleitoral comandado pelo TSE. Mas Lula celebra, com os ministros supremos e demais petistas, a incrível velocidade do resultado, à frente dos norte-americanos, como se faltasse capacidade técnica aos Estados Unidos para reproduzir urnas tão ligeiras. Claro que a razão é outra: eles não aceitam algo tão opaco, sem condição de aferição pública, motivo pelo qual até a Suprema Corte da Alemanha rejeitou modelo similar.

Horas após a divulgação do relatório, O Globo não tinha manchete em destaque no seu site sobre o assunto, o que mostra que não curtiram muito. Em contraste, havia uma chamada malandra, sobre a reunião de Lula com os ministros do STF, alegando que o petista pregava harmonia entre os Poderes e a “volta à normalidade”, ignorando que “normalidade”, no caso, é a volta do Mensalão e do Petrolão.

Foto: Reprodução/O Globo

A Folha de S.Paulo dedicava mais da metade de sua página principal ao obituário de Gal Costa, e lá embaixo era possível encontrar essa chamada perdida: “Relatório da Defesa não aponta fraude em eleição, e TSE agradece”. Não há como apontar fraude num sistema que não é auditável, conforme o relatório deixa bem claro. Falta transparência e há risco de manipulação, como os militares admitem. Eis o que deveria ser o foco!

Manchete da Folha de S.Paulo, dia 9/11/2022 | Foto: Reprodução

Foi exatamente a manchete na Gazeta do Povo, jornal mais sério: “Defesa não aponta fraude nas urnas, mas cita ‘risco relevante’ e sugere investigação técnica”. Ou seja, o relatório do Ministério da Defesa não corrobora com as conclusões de outras entidades “fiscalizadoras”, como a OAB e o TCU. Até William Bonner teve de admitir isso no Jornal Nacional.

 

Foto: Reprodução/Gazeta do Povo

A OAB, que deveria estar protegendo o Estado de Direito no país e condenando os abusos alexandrinos, nada entende de tecnologia, assim como o TCU, um órgão político comandado por Bruno Dantas, que já foi alvo de denúncias de corrupção de Sergio Cabral em delação premiada. Ou seja, nenhum dos dois pode realmente “garantir” a lisura do processo, e tal afirmação não passa de uma postura política, não técnica. Já os militares escalados para a fiscalização são especialistas em tecnologia, e seu parecer tem infinitamente mais peso.

Como apresentar a fraude se não há transparência para avaliar cada passo?

Daí a relevância dos destaques desse relatório: o TSE não permitiu verificar o funcionamento do sistema da forma como deveria, apesar de solicitado; não foram permitidas ferramentas de análise de segurança; não permitiram teste de integridade do sistema; o sistema acessa a rede e bancos de dados externos (algo inconcebível); sem análise dinâmica não se pode afirmar (conforme dito nas conclusões) que o código da urna é seguro e isento códigos maliciosos.

Quem esperava uma bala de prata ou o batom na cueca não entendeu o básico ainda: o que o Ministério da Defesa diz é que a urna e o respectivo sistema não são seguros e, portanto, não se pode afirmar que o resultado produzido é confiável. Como apresentar a fraude se não há transparência para avaliar cada passo?

Presidente do TSE, Alexandre de Moraes, se reúne com o presidente eleito, Lula | Foto: Antonio Augusto/Secom/TSE

O relatório cobra mais investigações, e não para as próximas eleições, como alguns insinuaram. Entre as recomendações consta “realizar uma investigação técnica para melhor conhecimento do ocorrido na compilação do código-fonte e de seus possíveis efeitos” e “promover a análise minuciosa dos códigos binários” que efetivamente foram executados nas urnas eletrônicas. Tudo isso por meio da “criação de uma comissão específica, integrada por técnicos renomados da sociedade e por técnicos representantes das entidades fiscalizadoras”.

Nada disso seria para a próxima eleição: “Em face da importância do processo eleitoral para a harmonia política e social do Brasil, solicito, ainda, a essa Corte Superior considerar a urgência na apreciação da presente proposição”. A reação do TSE não pode ser simplesmente “agradecer” o esforço e vida que segue. Os militares estão apontando fragilidades claras no processo eleitoral, e, com o povo nas ruas, há enorme pressão para que o TSE apresente uma resposta imediata, fornecendo acesso a essa caixa-preta denunciada pelo Ministério da Defesa. Os militares precisam entrar na cozinha do restaurante TSE para uma verdadeira inspeção!

Leia também “Blogueiros petistas”

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

35 comentários Ver comentários

  1. “Defesa não aponta fraude nas urnas, mas cita ‘risco relevante’ e sugere investigação técnica”.
    A manchete da Gazeta do Povo também decepcionou.Por ser um jornal que se diz conservador deveria ter fugido do lugar comum do consórcio de imprensa.Afirmar que o relatório não aponta fraude é jogar a favor de quem defende o atual sistema.A manchete correta deveria ser:”Na impossibilidade de visitar a cozinha do restaurante Defesa publica relatório inconcluso sobre a possibilidade de haver(ou não) ratos naquele ambiente.E sugere uma devassa na cozinha.”

  2. Não vai acontecer nada. O jogo está jogado, fora das quatro linhas, e ao povo derrotado só resta a máxima de que “o choro é livre”. É isto que está acontecendo.

  3. Eu avisei, a qualquer momento a casa vai cair sobre as cabeças dos iluministros que se acham mais importantes e mais sábios que todo o povo, rasgaram a constituição e descondenaram o Lula, limparam sua folha corrida e o tornaram elegível em um malabarismo judicial jamais visto nem no Brasil. O resultado aí está. Nos resta torcer pra tudo acabar nos limites da constituição e com o menor trauma possível para todos nós.

  4. O povo tem o direito de ter o voto respeitado. Nao podemos aceitar essa fraude protegida por um filhote de ditador que pensa que o Brasil ira ficar de joelhos para um impostor. A TOGA NEGRA NAO É MAGICA E JAMAIS PODERÁ TRANSFORMAR IMPOSTORES EM JUIZES. STF PASSOU A SER MAIS UM PARTIDO POLITICO DE ESQUERDA. Ficar calado é aceitar a instalaçao de uma ditadura comunista no Brasil. LUTAREMOS ATE O FIM, POR BEM OU POR MAL IREMOS RETIRAR OS IMPOSTORES DO PODER.

  5. Ao meu ver as urnas eletrônicas já deveriam ter sido recolhidas e levadas para “algum local seguro ” são as provas do crime e não podemos correr o risco de perdê-las.

  6. Como um país com uma população de 214 milhões, aceita ser censurado por um único homem de capa preta, que poder tem, que ninguém tem coragem de enfrentá-lo . Isso chega ser ridículo

  7. Resumo do relatório das FFAA: as urnas não são auditáveis. Não temos como saber se houve ou não fraude. Para demonstrar a fragilidade do sistema, acredito, seria necessário que um grupo de especialistas, numa próxima eleição, em segredo, e usando conhecimentos avançados de TI, hackear algumas urnas específicas, pré-determinadas, indicando previamente, antes das eleições os resultados que essas urnas vão mostrar. Da mesma forma que se mostra fraudes em licitações, publicando-se de forma cifrada em jornais os resultados que serão observados. O dia que fizerem isso, fica demonstrada de forma indiscutível a fragilidade do sistema.

  8. Recém assinei a Oeste depois que vocês chegaram. Moro em Hollywood, FL ha 24 anos e sou cidadão ha 14. Não tenho preferencia partidária, me considero independente, ao sabor das minhas convicções. Acho o Ron de Santis um político eficiente a moderno. Nunca votei no Trump nem no Lula, e nunca votarei. O agente laranja e o ladrão são os dois maiores mentirosos que conheço. Com origens opostas, são ignorantes e presunçosos igualmente. O Trump é mais perigoso pois milita no pais mais importante do mundo. A unica diferença é que o Trump é um craque na escolha de esposas, e o Lula é um horror. Se o De Santis for candidato terá o meu voto. Em tempo, não votei no Suplicy americano na última eleição, e óbvio, nem no Trump. Escolhi uma libertária não socialista, que não pagou nem placê. O que mais admiro aqui nos USA é a a real alternância do poder. Isso e a liberdade fazem toda a diferença. Tenho 76 anos, liberal, ateu desde os 10 e casado ha 53 anos. Auto exilado por vontade própria aos 52. Arrependimento, só tenho do que não tentei.

  9. Por que o STF esperou 580 dias para dizer que Curitiba nao era a juridicao para julgar Lula? Isso devia ter sido feito no inicio do julgamento mas nao foi e ai, por coincidencia, o Fachin,depois de esse tempao, disse que todo e nulo y que deve ser feito de novo em Brasilia. Essa feliz coincidencia fez com que o Triplex de Guaruja e o Sitio de Atibaia PRESCREVAM POR CAUSA DA IDADE do Lula. Leiam no Google ” Lula diz que foi absolvido mas segue com problemas na Justica”. Ele nao foi absolvido de nada.
    E PRONTO LULA E ELEGIVEL. AGORA SO TA FALTANDO O FRAUDE PARA ASEGURAR A SUA VOLTA A CENA DO CRIME.
    E ASSIM FOI FEITO.

    1. Tremendo ficha suja que terminou vencendo as eleiçoes sustentado por uma fraude. O Povo ira decidir, ficar calado e aceitar uma ditadura comunista ou colocar todos esses impostores fora do poder e alguns na penitenciaria.

  10. Na minha opinião teve fraude sim, não é possível que a maioria não viu o que esse Ladrão julgado e condenado fez! E tbm com muitos relatos e casais como urnas com 100% de vômitos para o ladrão e nem 1 para Bolsonaro sabemos que não tem essa efeminai toda.

  11. Colaborando com o TSE espontaneamente.

    Só um idiota perfeito aceitaria essa história de urna eletrônica brasileira ser altamente confiável mas sem chance alguma de ser auditável 100%.
    Leia até o final, por favor!

    Nem precisa ser técnico de TI para saber que é possível invadir um código-fonte, até por ação maliciosa demandada aos próprios desenvolvedores. Se não externa, invasão interna pode ocorrer premeditadamente ou não, em forma de manipulação de resultados, principalmente num sistema em que não foi permitida inspeção na “cozinha do restaurante”.
    Para o bem geral da Nação, não é hora do TSE menosprezar ou desdenhar o relatório inteligente do Ministério da Defesa, isso é feio, e sim aceitar investigação urgente para poder então, caso seja possível, declarar lisura do processo ou indicar o verdadeiro vitorioso, segundo nova apuração realmente confiável. Feito isso, depois partir para o aprimoramento máximo do sistema em conjunto com técnicos externos de alta confiabilidade e, principalmente, do Ministério da Defesa, agora não mais como convidado, e sim como inspetor de TI do sistema eleitoral brasileiro.
    Tudo na santa paz, sem necessidade de alguém do TSE ou STF quebrar a cabeça na parede agindo fora da Constituição e sendo jugado pelo povo negativamente. O povo não é trouxa e a verdade tarda mas não falha.

    O TSE tem o dever de primar pela lisura do processo 100% auditável. Para isso, deve sim abrir o código-fonte para aprimoramento conjunto e permitir sua inspeção total a cada eleição. Transparência total. Isso é o mínimo que a Justiça tem que fazer antes de pensar em empurrar goela abaixo essa afirmação esdrúxula de urnas totalmente confiáveis sem chance de passar logo no primeiro teste. Caso contrário, como ocorrido, depois cai no descrédito geral logo após uma simples investigação parcial por técnicos do Ministério, sem permissão para analisar o código-fonte daquilo que o TSE considera fidedigno. Aí é claro que o povo desacredita das palavras de quem quer que seja afirmando o inaceitável.

    Senhores, vamos resolver isso de uma vez por todas?
    Eis aqui minha modesta cooperação.
    Querem uma contribuição para acabar com essa encrenca?
    Como cidadão brasileiro, esta aqui eu dou de graça ao TSE para o bem do Brasil.

    Sugestão. Para simplificar ao máximo o processo eleitoral, com os recursos tecnológicos disponíveis hoje em dia, é possível sim votar em urna eletrônica com impressão do comprovante de votação em duas vias, uma para o TSE e outra para o eleitor guardar e confrontar resultado da sua votação depois pela Internet no portal do TSE, através da sua conta única. Não se trata de votação impressa no papel pura e simplesmente, e sim, urna eletrônica e comprovante impresso, enfatizando. O comprovante terá que constar o nome e o CPF do eleitor com os números dos candidatos votados por ele. Se acharem necessário, além do exposto aqui, um QR Code daria mais segurança.
    Logo depois do fechamento das urnas, o resultado digital oficial não definitivo poderá ser divulgado, contudo, a ser confrontado com eventuais reclamações posteriores. Se, dias depois da eleição durante confrontação no TSE, algum voto aparecer contrário ao que estiver impresso no comprovante, o eleitor poderá reclamar por meio de canal eletrônico do próprio TSE imediatamente, sem cerimônia alguma, com direito a comprovante da sua reclamação por e-mail. Se ninguém reclamar depois de 3 ou até 6 dias, digamos, a eleição poderá ser declarada encerrada sem fraude alguma. Aí sim, isso seria eleição digna de confiança.

    Por que afinal essa pressa toda em declarar encerrada a eleição no mesmo dia e gerar dúvidas e mais dúvidas na cabeça de tanta gente, e ter o povo revoltado com toda razão?
    Depois vem o Ministério da Defesa, comprova fragilidade no sistema, e derruba as palavras de qualquer autoridade que afirmou o contrário. Para que isso?

    Gente, vamos usar a inteligência que Deus nos deu e pronto.
    Pronto, acabou a briga !
    Espero ter ajudado.

    1. Como tenho dito e escrito há tempos: confio nas maquininhas do comércio, uso normalmente meus cartões de bancos, mas SEMPRE pego a via IMPRESSA. Simples, certo?

  12. Estranho que no ano 2000 foi a primeira eleições brasileira com 100% das urnas eletrônicas, e que em 2002 pra cá o PT ganhou praticamente todas eleições

  13. Quem aí já criou um compilador? Eu, na matéria de Teoria de Compiladores, no curso de Bacharelado em Ciências da Computação na UNESP-Bauru.
    No caso das urnas, que usa sistema operacional Linux desde 2007 (que inclusive foi divulgado pelo TSE que foi utilizado para diminuir os custos – https://www.serpro.gov.br/menu/noticias/noticias-antigas/urnas-eletronicas-terao-sistema-operacional-linux-para-as-proximas-eleicoes).
    Nestesistema, os arquivos “compilados” tem a extensão “.bin”. No Windows, conhecido pela maioria, é MSI (instalador) ou EXE (executável). Existem linguagens que “não transformam o código fonte em código binário”: são as interpretadas. Não é o caso. Hoje é comum se utilizar de bibliotecas gratuitas (especialmente código aberto – Git Hub e afins) para alguma funcionalidade necessária, mas que já foi desenvolvida, não precisando reescrever. Muito comum, e a comunidade de desenvolvedores de código aberto é extensíssima!
    Pois bem: o que o Relatório diz? Não sei se o código que está instalado (compialdo) nas urnas (flash card) é o mesmo código que está na fonte, que gerou o código binário. Para saber, preciso de ambos: daí consigo comparar. Mas… e se forem idênticos? Aha! Quase… Ambos deveriam estar disponíveis para as FFAA, ANTES do relatório: deveriam ter acesso a ambos ANTES de sua utilização real, nas seções.
    Mas daí qual o grande problema e a arapuca? Biometria. Não é possível auditar, pois isso invalidaria uma das camadas de segurança, que é a anonimidade. Perceberam o conundrum… 2014 foi o ponto onde as Instituições deveriam ter solicitado a abertura do código para verificação.

    1. Engraçado, coincidência ou não, foi preciso surgir um presidente da direita para questionar a confiabilidade dessas urnas, que desde seu lançamento em 2000 até 2019 ninguém questionou. Até pudera, quem ganhou nas eleições anteriores com as mesmas urnas foram o PT e aliados. Entendeu ou preciso desenhar?
      Bastou o Bolsonaro levantar dúvidas acerca da confiabilidade para receber toneladas de críticas de tudo quanto é lado e ser tratado como um criminoso pelo tal consórcio de imprensa só porque duvidava das urnas. A resposta veio do Ministério da Defesa e desdenhada pelo TSE.
      A verdade veio à tona e o TSE respondeu ao Relatório das FFAA com desdém, essa que é a verdade. Absurdo!
      Até hoje, essa gente que crucificou o Bolsonaro acha que acertou na escolha. Pior, acham-se heróis, e o intragável acontece sob as barbas de quem deveria primar pela lisura do processo eleitoral brasileiro. Pasmem !
      Como diz um amigo meu, alguma coisa errada não está certa.

  14. ORA, ORA, SENHORES, A FRAUDE ESTÁ EVIDENTE. O QUE QUERIAM MAIS ALEM DISSO? O QUE O MINISTÉRIO DA DEFESA ESTÁ ESPERANDO PARA DIZER, COM TODAS AS LETRAS QUE O PROCESSO NÃO É CONFIÁVEL E QUE FOI FRAUDADO? PARTEM COM O LERO LERO E PARTAM PARA A AÇÃO. NÃO DÁ MAIS PARA FICAR FILOSOFANDO DEPOIS DE TODOS ESSES FATOS. O MINISTÉRIO DA DEFESA NÃO NASCEU ONTEM E SE O TSE OCULTOU INFORMAÇÃO, ISSO É FRAUDE. NÃO TEM OUTRO NOME. E AGORA, SENHORES, VÃO FAZER O QUÊ?

    1. Perfeito, Santilho. Se são esperadas providências urgentes por que o Ministério da Defesa não estipulou umas 48 horas pro TSE resolver o imbróglio?

  15. Mourão tem razão. A hora H foi na soltura do lula. Quando o stf soltou o ladrão era momento do BASTA. Ali , as ffaas amarelaram , não quiseram assumir seu dever constitucional e deixaram o povo à mercê destes canalhas. JB sempre esteve sozinho. Naquele 7 de setembro de 2021 era para ter acontecido. Povo na rua , constituição sendo rasgada todo dia e a milicada amarelou. Não me venham com essa de que tudo tem que ser feito dentro das 4 linhas. Jogar com a arbitragem apitando contra mais o VAR anulando gol legitimo era impossivel ganhar. Deu no que deu.

  16. Estamos em um caminho sem volta, a população deve seguir se manifestando, cada vez em maior número, pois o PODER EMANA DO POVO. Temos que lembrar a todos que estamos vivendo esse momento por não termos nos manifestado nas ruas, isso, no fatídico dia em que os ministros da Suprema Corte foram pra dentro do Parlamento no intuito de modificar os membros da Comissão que emplacaria a PEC do voto auditável. Sem a materialização do voto, alguém achou que as FFAA iriam se pronunciar de forma leviana? Mais razão e menos emoção.

    1. Bem, agora vem o Mourão com essa história de que o momento certo seria no passado? Existe algo mais ridículo do que isso? Ele como vice-presidente fez algo? E o parlamento? Ah, os parlamentares fazem alguma coisa o tempo todo, – conluios visando alguma vantagem. Ao povo resta arcar com as despesas, dignas de republiquetas, para manter as benesses desses PARASITAS.

  17. Que estávamos revivendo 64, só não viu quem não quis, o discurso do Jango na Central do Brasil foi substituído, pela ida de ministro do nosso minúsculo stf ao exterior para depor o presidente atual, visitas as casas legislativas com ameaças para evitar que as urnas se tornassem auditáveis, intimidação de novo, pela corja suprema, de pessoas ligadas ao atual e legítimo presidente, etc, etc. Então as Forças armadas falharam em 64, pois permitiram a volta desse lixo a vida pública e falharam agora que vendo o caminho que as coisas estavam indo não moveram uma palha para fazer valer a constituição. Omisso e covardes, pois não respeitam o salário pago a eles pelo povo.

  18. FFAA? Que vergonha. Pensei que ainda teríamos as mesmas FFAA de 1964. Que frustração. Esses são os profissionais com quem gastamos fábulas de nossos impostos? Para quê? Para tentarem se manter em suas cadeirinhas confortáveis de veludo. Sou obrigado a concordar com os petistas. É melhor mesmo acabar com as FFAA, assim pelo menos o dinheiro de meus impostos não é jogado no lixo.

  19. Com o relatório as forças demonstraram realmente serem desarmadas. Não sabem porra nenhuma de tecnologia de informação, foram barradas na porta do baile e ficaram chupando palito sem sorvete . Era sim, o leão que a população imaginava. Só com um detalhe inesperado: o leão é banguela. Se o relatório tivesse sido impresso em papel poroso, o careca teria usado pra enrolar e usar no banheiro da empregada. Como é papel sulfite, ele apenas recortou pra usar o verso em branco como papelotes de recado ao capinha . The end, my friends. É o caminhão descendo a ribanceira sem freios.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.