Foto: Shutterstock
Foto: Shutterstock

Bem-vindo ao talibã

Se liga. Vê se não vai se engraçar pelo submundo da desinformação e aparecer com críticas ao processo eleitoral impecável conduzido pelo TSE

Decálogo da nova democracia brasileira:

    1. Em primeiro lugar, cala a boca que eu não te perguntei nada. Vai se acostumando ao status silencioso, em nome da paz e do amor. De preferência nem pensa, porque do jeito que você é horrendo o seu pensamento tende a ser uma usina de ódio. Chegou o tempo da harmonia, não há espaço para o que vem da sua mente;
    2. Um pensamento lhe será sempre permitido. Ou melhor, dois: pense duas vezes antes de abrir a boca. Nessa linha o seu livre pensar está garantido pelos talibãs do amor, a nova casta que te governa. Pensando duas vezes, na segunda vez o seu pensamento com certeza virá coalhado de verdades amorosas, as quais você poderá expressar livremente. Por exemplo: a eleição presidencial foi limpa. Isso é uma verdade que conforta o coração talibã;
    3. No assunto eleição 2022 você já sabe: se não andar na linha, babau. O talibã brasuca tem neste assunto um dos seus grandes totens. Se liga. Vê se não vai se engraçar pelo submundo da desinformação e aparecer com críticas ao processo eleitoral impecável conduzido pelo TSE, a corte talibã que prende e arrebenta em nome do bem. A nova Constituição não escrita (escrever toma muito tempo e não leva a nada) aconselha inclusive o cidadão a jamais pronunciar a palavra “auditável”. Obedeça, não seja um subversivo;
    4. Se uma audiência no Senado trouxer servidores e técnicos mostrando por A + B que o processo eleitoral foi imundo, obscuro, pervertido, manipulado, completamente irregular e consagrou a volta de um ladrão à cena do crime, você tem as seguintes opções para reagir a isso:
    5. Finge que não viu;
    6. Nega tudo;
    7. Espera o William Bonner negar tudo às 20:30 e repete tudo que ele disser;
    8. Chama todo mundo de golpista;
    9. Pede ao Alexandre de Moraes pra avisar aos mortais que o Senado não manda porra nenhuma e vai ser multado em R$ 1 bilhão por hora cada vez que inventar uma audiência antidemocrática e fora de hora como essa aí;
    10. Jamais desrespeite a liberdade de expressão das urnas brasileiras. Elas têm vontade própria, e seu direito de escolha é garantido pelo TSE. Se a urna escolher um amor bandido, por exemplo, isso é problema dela. Se você teclou outra coisa no dia da eleição, paciência. Respeite a diversidade. Não queira atrair a urna eletrônica para o seu pensamento único;
    11. Quem não respeitar a vontade (própria) das urnas será processado por assédio eleitoral;
    12. Quem não disser que o Lula é inocente será processado por assédio político;
    13. Quem não disser que o Alexandre de Moraes manda na porra toda será processado por assédio alexandrino;
    14. Quem não disser que a expressão “Perdeu, mané” consagrou Luís Roberto Barroso como o novo Montesquieu, deixando no chinelo aqueles iluministas chinfrins do passado, que nem sabiam quem era João de Deus, será processado por assédio filosófico;
    15. Quem disser que nada disso pode ser feito contra o cidadão porque não está na lei provocará uma gargalhada geral no próximo banquete dos supremos talibãs. A não ser que você tenha a ideia genial de desistir de ser mané.

A nova Constituição não escrita (escrever toma muito tempo e não leva a nada) aconselha inclusive o cidadão a jamais pronunciar a palavra “auditável”

Luiz Inácio Lula da Silva | Foto: Reprodução redes sociais/Ricardo Stuckert
  1. Leia também “Eleição à la carte”
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

9 comentários Ver comentários

  1. Muito real e muito triste, as vezes eu penso que morri em 2019, ocasião que passei por um acidente e por uma cirurgia, acho que não saí viva, hoje vivo no mundo invertido. Uma distopia orweliana misturada com Huxley onde o imperador Palpatine governa.

  2. Meus Colegas Guerreiros Brasileiros, que tal pedirmos para um grande jurista como Ives Gandra, ou outro especialista, redigir um projeto de lei com o voto distrital puro com recall, iniciativa de lei, referendo de lei e retenção ou não de juiz?

    Depois conseguimos um deputado para propor e já teremos um número de projeto de lei para colocar em cartazes em manifestações e exigir aprovação.

    Teoricamente até jovens de esquerda poderiam concordar, pois é uma ferramenta de democracia apartidária. Só a cúpula da esquerda, que sabe que precisa de certa ditadura, iria discordar discretamente.

    Bora redigir e propor? 💪💪💪💪💪

  3. Já até incorporei esse mané p ver se me acostumo. O q não falta são manés q trabalham, pensam e resistem aos grandes iluminados impostores da representatividade popular. Obrigada Fiuza. Sinto sua falta na JP. Está difícil de manter a audiência sem vcs lá.

  4. Ge-ni-al ☀️☀️☀️☀️☀️☀️☀️☀️☀️☀️
    Bri-lhan-te ☀️☀️☀️☀️☀️☀️☀️☀️☀️☀️
    Um dos melhores textos que já li. E que conclusão linda. G-e-n-i-a-l, insisto.


    Compartilho uma hipótese sobre direita e esquerda:

    Eureka?

    Tenho uma hipótese de que a esquerda votante se trata de uma elite pequena que, com imprensa principalmente mas também com o stf, consegue trazer dezenas de milhões de votos de pessoas que não são de esquerda de verdade mas, sim, convencíveis e convencidas por uma imprensa de elite, o consórcio.

    Agora a eureka: eureka!

    A direita não. Ela é direita mesmo. Eureka então:

    Se a direita cancelar assinaturas e deixar de consumir produtos, serviços e serviços jornalísticos de esquerda, a contrapartida do outro lado não acontece. Eureka!

    Os votantes na esquerda foram convencidos superficialmente. Não são atuantes, são mais manobráveis que atuantes. Por isso não se manifestam. Nem online, nem nas ruas. São ocultos.

    A esquerda que se manifesta é a caviar direta, aquela que, realmente, come caviar. Uma minoria genuinamente interessada em manter privilégios. Esta minoria-caviar manobra dezenas de milhões de votantes. Por pouco tempo: em queda está essa massa manobrável e a imprensa que manobra, a tradicional.

    Portanto, novamente, concluo: eureka!

    A direita, de fato engajada por inteiro, já somando dezenas de milhões de pessoas, aumenta seu próprio crescimento, o crescimento das ideias de estado enxuto, voto distrital puro com recall, fim de juiz vitalício, etceteras, sabotando produtos, serviços e serviços jornalísticos de esquerda, sem temer a contrapartida do lado de lá. O engajamento cá, na direita, é muito mais poderoso do que lá, na esquerda.

    Assim, enxergo uma tendência de uma população brasileira com ideias mais à direita, cada vez mais rapidamente, com nossa própria ajuda.

    É apenas uma hipótese. Com um eureka, uma ideia possível. ☀️

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.