-Publicidade-

Covid-19: empresa estima fabricar 2 bilhões de doses de vacina até 2021

A quantidade é o dobro das estimativas iniciais e só foi possível graças a um acordo com duas organizações financiadas pelo empresário Bill Gates
Vacina contra o coronavírus está próxima de se tornar realidade | Foto: NATE PESCE/FLICKR
Vacina contra o coronavírus está próxima de se tornar realidade | Foto: NATE PESCE/FLICKR | Vacina contra o coronavírus está próxima de se tornar realidade | Foto: NATE PESCE/FLICKR

A quantidade é o dobro das estimativas iniciais e só foi possível graças a um acordo com duas organizações financiadas pelo empresário Bill Gates

covid-19
Vacina contra o coronavírus está próxima de se tornar realidade | Foto: NATE PESCE/FLICKR

Na corrida por uma vacina contra a covid-19, a empresa farmacêutica AstraZeneca prevê entregar até 2021 cerca de 2 bilhões de doses de seu potencial imunizante.

A quantidade é o dobro das previsões. E só foi possível graças a um acordo com o Serum Institute of India e duas organizações globais de saúde financiadas pelo empresário Bill Gates.

Leia também: Pfizer informa que vacina contra a covid-19 chega em outubro

Além disso, a AstraZeneca tem parceria com a Universidade de Oxford, que lidera a disputa pela cura do vírus chinês. A farmacêutica obteve US$ 1,2 bilhão do governo dos EUA no mês passado.

Portanto, a medida amplia o número de testes da vacina e a capacidade de fabricação.

Ainda, a farmacêutica firmou um acordo no valor de US$ 750 milhões Coalition for Epidemic Preparedness e a Gavi, ambas criadas pela família Gates, para produzir 300 milhões de doses da vacina.

Saiba mais

No fim de maio, o CEO da AstraZeneca, Pascal Soriot, garantiu que os britânicos devem ter acesso à vacina contra o coronavírus em setembro deste ano.

A empresa, cuja sede é em Cambridge, firmou parceria com a Universidade de Oxford em março. Portanto, o objetivo é desenvolver um imunizante capaz de derrotar o patógeno.

Sendo assim, uma vez comprovada a eficácia do remédio, o desafio será produzi-lo em larga escala.

“Recebemos um pedido do governo britânico para oferecer 100 milhões de doses”, afirmou Pascal em entrevista à rádio BBC. “A vacina tem que funcionar. Se funciona, teremos que demonstrar isso”.

É importante acrescentar que, de acordo com o chanceler Ernesto Araújo, o Brasil estará ao lado de outros 43 países, empresas e entidades globais, como a Organização Mundial da Saúde, para ajudar no desenvolvimento de um imunizante.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

2 comentários

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês