Anvisa: ainda não há estudos conclusivos sobre 3ª dose de vacinas contra covid

Agência já autorizou dois laboratórios farmacêuticos a realizarem pesquisas a fim de investigar a necessidade de dose adicional
-Publicidade-
Estudo da Pfizer/BioNTech vai testar a dose de reforço em pessoas que tomaram as duas doses completas da vacina da Pfizer há pelo menos seis meses | Foto: Divulgação/Governo do Estado de São Paulo
Estudo da Pfizer/BioNTech vai testar a dose de reforço em pessoas que tomaram as duas doses completas da vacina da Pfizer há pelo menos seis meses | Foto: Divulgação/Governo do Estado de São Paulo

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informou nesta quinta-feira, 15, que ainda não há estudos conclusivos sobre a necessidade de uma terceira dose ou dose de reforço para as vacinas contra a covid-19 em aplicação no Brasil.

Em nota, a Anvisa esclareceu que já autorizou dois laboratórios farmacêuticos a realizarem pesquisas a fim de investigar a necessidade de uma dose adicional de vacina.

“A Anvisa vem acompanhando as discussões, as publicações e os dados apresentados sobre o surgimento de novas variantes do vírus Sars-CoV-2 e seu impacto na efetividade das vacinas. Até agora, todas as vacinas autorizadas no Brasil garantem proteção contra doença grave e morte, conforme os dados publicados”, informa a nota.

-Publicidade-

Estudos de doses de reforço em andamento

Um estudo em andamento da Pfizer/BioNTech, aprovado em 18 de junho, vai testar a dose de reforço em pessoas que tomaram as duas doses completas da vacina da Pfizer há pelo menos seis meses.

Outra pesquisa, conduzida pelo laboratório da AstraZeneca e aprovada ontem pela Anvisa, vai testar uma segunda versão da vacina da farmacêutica anglo-sueca que busca a imunização contra a variante identificada originalmente na África do Sul.

“Anvisa libera ButanVac para ser aplicada em voluntários” 

Um braço do estudo avalia o teste de uma dose dessa nova variante da vacina em pessoas vacinadas com duas doses da versão atual do imunizante da AstraZeneca ou duas doses de uma vacina produzida por meio de RNA mensageiro, com as das Pfizer e da Moderna. Nesse caso, a dose adicional só será aplicada em pessoas que não apresentarem produção de anticorpos contra o coronavírus. 

 

 

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

2 comentários

  1. Ouvi um gerente da ANVISA dar uma entrevista hoje pela manhã na CNN. O cara é mais cara de pau que Doria. Esse pessoal da ANVISA para aprovar uma Coronavac a corrupção deve ter corrido solta. O Doria vai vacinar até cachorro aqui em São Paulo com essa vacina para aproveitar o contrato com a China. Esse cara da ANVISA só faltou beijar os pés do jornalista agradecendo pela entrevista. Estao pagando essa turma da ANVISA com aparições na CNN e Globo.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site