Baixada Santista anuncia lockdown a partir da próxima semana

Santos, Bertioga, Cubatão, Guarujá, Itanhaém, Mongaguá, Peruíbe, Praia Grande e São Vicente vão endurecer restrições
-Publicidade-
Nove cidades da Baixada Santista vão endurecer restrições para conter a pandemia
Nove cidades da Baixada Santista vão endurecer restrições para conter a pandemia | Foto: Agência CNT/Wikimedia Commons

Prefeitos de nove cidades da Baixada Santista, no litoral de São Paulo, anunciaram na sexta-feira 19 que a região adotará um lockdown a partir da próxima semana, em mais uma tentativa de conter a disseminação do coronavírus. As medidas entram em vigor na terça-feira 23 e duram até o dia 4 de abril nos municípios de Santos, Bertioga, Cubatão, Guarujá, Itanhaém, Mongaguá, Peruíbe, Praia Grande e São Vicente.

Leia mais: “‘Lockdown é conversa fiada’, diz Augusto Nunes”

-Publicidade-

As pessoas só serão autorizadas a circular nas ruas para ir a hospitais ou comprar medicamentos, além de embarque e desembarque em terminal rodoviário, atendimento de urgências e necessidades “inadiáveis”, segundo a determinação das respectivas prefeituras. Será necessário apresentar documentos como nota fiscal de compras ou prescrição médica de remédio para justificar a circulação.

Leia também: “Para Guilherme Fiuza, prefeitos estão fazendo ‘espetáculo do autoritarismo'”

O transporte público municipal terá horário de funcionamento reduzido, operando apenas em uma faixa de horário pela manhã e outra à tarde. O transporte metropolitano, que interliga as cidades, incluindo a travessia por balsas e barcas, funcionará normalmente porque é de responsabilidade do governo do Estado. Taxistas e motoristas de aplicativos também podem trabalhar sem restrições.

Supermercados, minimercados e padarias estão autorizados a funcionar até as 20 horas e só podem vender produtos alimentícios e de higiene. Estabelecimentos com atividade de entrega em domicílio podem funcionar com porta fechada e apenas 30% dos funcionários.

“A preocupação com a saúde e a economia é de todos os prefeitos”, disse Rogério Santos (PSDB), prefeito de Santos e presidente do Conselho de Desenvolvimento da Região Metropolitana da Baixada Santista (Condesb). “Então, estamos escolhendo a melhor maneira de proteger as pessoas. Não é fácil. O momento é triste”.

Leia também: “‘O caos vem aí, a fome vai tirar o pessoal de casa’, diz Bolsonaro sobre lockdown”

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias.
Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

3 comentários

  1. Nota fiscal de compra ou prescrição médica para circular. Se o cidadão ainda não chegou ao supermercado não terá a nota fiscal. E para obter a prescrição médica, o indivíduo terá que se locomover para conseguir esta prescrição. Ou nota fiscal e prescrição médica caem do CÉU ?

    1. Boa noite.lock donw.isso é riculo antes da eleição liberou tudo depois fechou ..abriu no ano novo liberou a praia virou uma zona e agora que fechar o comércio não tem cabimento isso .esses idiotas não tem noção trabalhar com horário reduzido só faz gera mais aglomeração pois o supermercado onde trabalho fechava 22:00 agora20:00 um inferno de gente …em um curto espaço de tempo.e o transporte coletivo das 17:00as 20:00 saio às não pego ônibus as vinte até eu chegar no ponto o ônibus já passou ter que anda na rua com declaração no bolso como uma criminoso por causa do governo omisso..desse país despreparado.e uma vergonha

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.