Bolsonaro defende nova medicação para tratamento precoce contra covid-19

Presidente citou a proxalutamida como alternativa contra a doença
-Publicidade-
O presidente Jair Bolsonaro voltou a defender o tratamento precoce contra a covid-19
O presidente Jair Bolsonaro voltou a defender o tratamento precoce contra a covid-19 | Foto: Divulgação

Na entrevista coletiva que concedeu ao deixar o Hospital Vila Nova Star, em São Paulo, neste domingo, 18, o presidente Jair Bolsonaro voltou a defender o tratamento precoce contra a covid-19. Além da cloroquina e da ivermectina, ele citou a proxalutamida — um medicamento anti-androgênico, geralmente utilizado no tratamento do câncer de próstata — como alternativa para combater a doença causada pelo novo coronavírus.

Segundo Bolsonaro, estudos preliminares apontaram que a substância pode ser eficaz contra a covid-19. A droga está sob investigação e não é comercializada. Seu uso contra a covid-19 não foi aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) ou por qualquer outra agência regulatória sanitária.

“Existe no Brasil de forma não ainda comprovada cientificamente, de forma não legal, mas tem curado gente. Vou ver se a gente faz um estudo disso para a gente apresentar uma possível alternativa. Temos que tentar. Tem que buscar alternativas e, com todo respeito, eu não errei nenhuma. Até quando, lá atrás, eu zerei os impostos da vitamina D”, afirmou Bolsonaro.

-Publicidade-

Leia mais: “Bolsonaro volta a defender voto verificável e critica ‘vontade doida’ de Barroso em manter sistema atual”

Aqui, se você fala de cura de covid, você passa a ser criminoso. você não pode falar em ivermectina, cloroquina…”, prosseguiu o presidente. “O que mais mata de covid é, em primeiro lugar, quem está com obesidade. Em segundo lugar, quem está com pavor e com pânico. A chance de evoluir para uma piora gravíssima é o pânico e o pavor.”

CoronaVac

Bolsonaro citou o exemplo do governador de São Paulo, João Doria (PSDB), para criticar a vacina chinesa CoronaVac, produzida pelo laboratório Sinovac e envasada e distribuída no Brasil pelo Instituto Butantan.

Leia também: “Depois de quatro dias de internação, Bolsonaro recebe alta”

A CoronaVac, pelo que tudo indica, está com eficácia muito baixa. […] Olha o governador de São Paulo, que diz seguir todos os protocolos. Duas doses da CoronaVac e foi infectado. O pavor corrobora com o agravamento da doença”, disse o presidente. 

Leia também: “Cirurgia abriria ‘espaço para novas obstruções’, diz médico de Bolsonaro”

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site