Hidroxicloroquina: Entidade defende autonomia de médicos

Associação alerta para legado sombrio, caso os profissionais sejam proibidos de prescreverem o remédio: "Isso é um crime contra os pacientes"
-Publicidade-
Pacientes com a covid-19 ouvidos por Oeste confirmam que melhoraram depois de usar o medicamento | Foto: MARCELO CASAL/AGÊNCIA BRASIL
Pacientes com a covid-19 ouvidos por Oeste confirmam que melhoraram depois de usar o medicamento | Foto: MARCELO CASAL/AGÊNCIA BRASIL | Pacientes com a covid-19 ouvidos por Oeste confirmam que melhoraram depois de usar o medicamento | Foto: MARCELO CASAL/AGÊNCIA BRASIL

Associação alerta para legado sombrio, caso os profissionais sejam proibidos de prescreverem o remédio: “Isso é um crime contra os pacientes”

hidroxicloroquina
Pacientes com a covid-19 ouvidos por Oeste confirmam que melhoraram depois de usar a hidroxicloroquina
Foto: MARCELO CASAL/AGÊNCIA BRASIL

A Associação Médica Brasileira (AMB) defendeu ontem a autonomia de profissionais da saúde para receitarem, ou não, a hidroxicloroquina a pacientes com covid-19. Em nota, a entidade enxerga motivação política nas críticas ao medicamento. Além disso, menciona o “legado sombrio para a medicina brasileira, caso a autonomia do médico seja restringida, como querem os que pregam a proibição” do remédio. Conforme a AMB, é importante lembrar que o uso off label (não previsto na bula) de medicamentos é consagrado na medicina, desde que haja clara concordância do paciente.

-Publicidade-

Leia também: “A solução que venceu a ideologia”, reportagem publicada na edição n° 3 de Oeste

Ainda segundo a entidade, é bastante provável que se chegue ao final da pandemia sem evidências consistentes sobre tratamentos. Mas muitos sairão apequenados, principalmente médicos e entidades médicas, que escolherem manipular a ciência para usá-la como arma no campo político-partidário. “Não podemos permitir que ideologias e vaidades, alimentadas por holofotes, nos façam regredir em práticas já tão respeitadas. Não se pode clamar por ciência e adotar posicionamentos embasados em ideologia ou partidarismo. Isso é um crime contra a medicina e contra os pacientes”, conclui.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

5 comentários Ver comentários

  1. Proibir o uso de qualquer medicamento por questões ideológicas e partidária é um crime contra a humanidade. Todos nós sabemos que nos hospitais particulares os pacientes do Covid tiveram acesso a todos os medicamentos disponíveis. Proibir seu uso só atingirá as camadas mais pobres e isto sim, é um genocídio. O povo está mais esclarecido e não vai perdoar esses fascínora. Fica a dica!!!

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.