Mourão defende liberação de missas e cultos: ‘É diferente de balada’

'As pessoas que frequentam culto e templo são até mais disciplinadas', afirmou o vice-presidente ao apoiar decisão do ministro Nunes Marques, do STF
-Publicidade-
Vice-presidente Hamilton Mourão diz não ver maiores problemas em abertura de igrejas para missas presenciais
Vice-presidente Hamilton Mourão diz não ver maiores problemas em abertura de igrejas para missas presenciais | Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

O vice-presidente Hamilton Mourão defendeu nesta segunda-feira, 5, a decisão do ministro Nunes Marques, do Supremo Tribunal Federal (STF), que liberou a realização de missas e cultos em todo o país. O magistrado tomou a decisão em caráter liminar e determinou que Estados, municípios e o Distrito Federal não podem editar normas de combate à pandemia de covid-19 que proíbam celebrações religiosas presenciais. A decisão do ministro atendeu a uma ação movida pela Associação Nacional de Juristas Evangélicos (Anajure), que alegou violação ao direito à liberdade religiosa e ao princípio da laicidade do Estado.

Leia mais: “Kalil recua e diz que vai cumprir decisão de Nunes Marques: ‘Já entramos com recurso’”

-Publicidade-

“As pessoas que frequentam culto e templo são até mais disciplinadas”, afirmou Mourão ao chegar ao Palácio do Planalto. “É diferente de balada, dessas festas clandestinas que acontecem. Não vou colocar no mesmo nível. São atividades totalmente distintas. Uma é espiritual e a outra é corporal, vamos dizer assim”, completou.

Leia também: “Cidadania vai ao STF e tenta derrubar decisão de Nunes Marques sobre cultos e missas”

O vice-presidente lembrou que a decisão de Nunes Marques prevê que igrejas e templos devem manter seus fiéis sentados com distanciamento regulamentar. “Tudo depende das pessoas e depende do templo. Se você tem uma igreja que tem um espaço bom, você limita a 20, 30 pessoas separadas, duas por banco, todo mundo de máscara, obviamente, acho que há condições. Agora, quando são templos apertados e muita gente lá dentro, é óbvio que não é conveniente”, disse Mourão.

Leia também: “Presidente de frente de prefeitos pede manifestação de Fux sobre liberação de missas e cultos”

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias.
Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.
-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.