MPF recorre de decisão que rejeitou denúncia contra Allan dos Santos

Recurso foi apresentado ao Tribunal Regional Federal da 1ª Região
-Publicidade-
Jornalista Allan dos Santos teve denúncia rejeitada pela Justiça do Distrito Federal
Jornalista Allan dos Santos teve denúncia rejeitada pela Justiça do Distrito Federal | Foto: Reprodução/Jovem Pan

O Ministério Público Federal (MPF) recorreu da decisão da juíza federal Pollyana Kelly, substituta da 12ª Vara Federal do Distrito Federal, que rejeitou uma denúncia contra o jornalista Allan dos Santos, do canal Terça Livre, acusado de supostas ameaças contra o ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF).

O recurso foi enviado ao Tribunal Regional Federal da 1ª Região. Na decisão em que rejeitou a denúncia, a magistrada qualificou como “bravatas e impropérios” as declarações proferidas pelo jornalista, mas descartou a prática de crime.

Leia mais: “Justiça Federal rejeita denúncia contra Allan dos Santos, acusado de ameaçar Barroso”

-Publicidade-

No recurso, o MPF contesta o posicionamento da juíza. “Em meio a tanta tensão política ocorrida no país nos últimos anos, qualquer instigação mais enérgica propagada por pessoas com grande influência nas mídias sociais da internet, como o caso de Allan dos Santos, facilmente serve de estímulo para que terceiros cheguem às vias de fato e concretizem as agressões e violências sugeridas no discurso”, alegou a procuradoria.

Leia também: “Ministério Público apresenta denúncia contra Allan dos Santos”

Allan dos Santos também é investigado no STF no âmbito do inquérito das fake news e da investigação que apura a ação de grupos na internet supostamente montados para atacar as instituições democráticas.

Leia também: “A Justiça contra a liberdade”, reportagem de Cristyan Costa e Silvio Navarro publicada na Edição 74 da Revista Oeste

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

5 comentários

  1. MPF tem um lado que no mínimo é questionável, pois trata de forma desigual as pessoas. Parecem tão intolerantes neste aspecto quanto ao talibã com seus valores muito particulares e equivocados.

  2. quem comete crime são eles que esta querendo penalizar por possível talvez quem sabe.. alguém cometa algum crime… que tipo de cretino utiliza o judiciário para tal ação intimidatória e persecutória? filhos de satanas!

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Meios de pagamento
Site seguro