Os desafios do novo ministro da Educação

Entre outros, Milton Ribeiro terá que conseguir a aprovação do Fundeb junto ao Congresso e garantir a realização do Enem em meio a pandemia
-Publicidade-

Entre outros, Milton Ribeiro terá que conseguir a aprovação do Fundeb junto ao Congresso e garantir a realização do Enem em meio a pandemia

Milton Ribeiro

-Publicidade-

Anunciado nesta sexta-feira, 10, para assumir o posto de ministro da Educação, Milton Ribeiro terá vários desafios ao chefiar a pasta. Ele será o quarto nome a comandar o Ministério da Educação na gestão de Jair Bolsonaro.

Milton tem 62 anos nasceu em Santos (SP) e é evangélico. À frente da pasta, terá quatro principais desafios:

  • Aprovar o novo Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb);
  • Realizar o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020;
  • Orientar e dar apoio às redes para o ano letivo na pandemia;
  • Implantar a Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

Fundeb

O Fundeb financia a educação básica, pagando desde reformas em escolas até salário de professores. Instituído em 2006 e regulamentado em 2007, o atual Fundeb tem prazo de validade: vence em 31 de dezembro deste ano. A expectativa é que, antes que expire, um novo texto seja aprovado no Congresso para garantir os repasses para o financiamento à educação. Milton terá o desafio de ajudar a construir consenso para que a proposta avance e seja aprovada ainda este ano.

Enem

O MEC decidiu que o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2020 será realizado em janeiro de 2021. Com as aulas suspensas em todo o país, houve pressão para que a prova não ocorresse em novembro deste ano. Além disso, este ano o Enem fará pela primeira vez a edição digital da prova – 96 mil candidatos estão inscritos nesta modalidade. A previsão do MEC durante a gestão Weintraub era tornar o Enem totalmente digital até 2026.

Pandemia

A questão mais complexa é como retomar as aulas presenciais, interrompidas em todo o país logo no começo da pandemia. Especialistas e secretários de Educação avaliam que é preciso um diálogo constante entre famílias, estados, municípios e o governo federal para desenhar um plano que proteja a saúde dos alunos e permita recuperar o tempo perdido.

BNCC

Outro desafio é implantar a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) do ensino médio. A base define o conteúdo mínimo que os estudantes de ensino médio de todo o Brasil deverão aprender em sala de aula.

Leia também: Artilharia das redes sociais já mira novo ministro da Educação

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.
-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site