São Paulo divulga lista de blocos e espera 18 milhões no Carnaval

Até o momento, 440 grupos foram autorizados a participar da folia, mas evento depende de confirmação da área da saúde
-Publicidade-
Carnaval de São Paulo deve atrair 18 milhões de pessoas, segundo estimativas da prefeitura
Carnaval de São Paulo deve atrair 18 milhões de pessoas, segundo estimativas da prefeitura | Foto: Divulgação/Soul em Cena

Apesar do temor em relação à nova variante do coronavírus, a Ômicron, a prefeitura de São Paulo se prepara para organizar o Carnaval de 2022. Neste sábado, 27, foi divulgada a lista de blocos de rua já confirmados na maior festa popular do país.

Até o momento, há 440 blocos autorizados a participar da folia, em um período que inclui, além do evento em si, o pré e o pós-Carnaval — entre os dias 19 de fevereiro e 6 de março.

A estimativa é que cerca de 18 milhões de pessoas participem do evento. Em 2020, no último Carnaval da cidade, foram 15 milhões.

-Publicidade-

Segundo a prefeitura da capital paulista, foram recebidas mais de 860 inscrições para desfiles de blocos durante o Carnaval do ano que vem. Os grupos que conseguiram a aprovação devem obedecer itinerários e horários pré-definidos. Em caso de descumprimento, podem ser multados.

De acordo com uma portaria publicada pela Secretaria Municipal das Subprefeituras, a realização do Carnaval de rua em São Paulo ainda depende da liberação formal das autoridades sanitárias, por causa da pandemia de covid-19.

Como noticiado por Oeste, o prefeito Ricardo Nunes (MDB) afirmou que, pelo menos por enquanto, o Carnaval do ano que vem está mantido na maior cidade do Brasil.

“Anunciar agora o cancelamento pode ser querer fazer bonito para alguém, porque não escuta a área técnica”, disse Nunes. “Tecnicamente, hoje é incoerente dizer que não vai ter. Ou dizer que vai ter com certeza.”

Até o momento, pelo menos 27 cidades do Estado de São Paulo já anunciaram que não realizarão o Carnaval em 2022. O motivo alegado pelos municípios é que a festa promove aglomeração, favorecendo a propagação da covid-19.

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta semana que, no que dependesse de sua vontade, não haveria Carnaval no Brasil em 2022.

“Por mim, não teria Carnaval. Só que tem um detalhe: quem decide não sou eu”, disse Bolsonaro. “Segundo o Supremo Tribunal Federal, quem decide são os governadores e os prefeitos. Não quero aprofundar nessa que poderia ser uma nova polêmica.”

Ontem, em entrevista ao programa Os Pingos nos Is, o ministro do Turismo, Gilson Machado, disse que a decisão sobre a realização do Carnaval em 2022 cabe aos Estados e municípios.

“Eu passo a bola para os governadores e para a Justiça, que foi quem delegou esse poder a eles”, afirmou Machado. “A bola está com eles e eu quero assistir de camarote ao que os governadores e os prefeitos vão fazer.’

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.