‘Só se tiver condição segura’, diz Paes sobre Réveillon e Carnaval

Prefeito do Rio admitiu preocupação com nova variante e afirmou que 'nada vai ser anunciado de forma irresponsável'
-Publicidade-
Eduardo Paes, prefeito do Rio, disse que nenhuma decisão será tomada de forma precipitada
Eduardo Paes, prefeito do Rio, disse que nenhuma decisão será tomada de forma precipitada | Foto: Sandra Barros/Futura Press/Estadão Conteúdo

O Réveillon e o Carnaval, duas das principais atrações do Rio de Janeiro, só serão realizados se houver condições sanitárias seguras. A afirmação foi feita na segunda-feira 29 pelo prefeito da cidade, Eduardo Paes (PSD). Ele gravou um vídeo em que fala sobre a preocupação com a variante Ômicron do coronavírus.

“Qualquer evento ou festividade que irá, em tese, ocorrer em semanas ou meses só vai ser realizado se tiver condição segura para tal”, disse Paes.

-Publicidade-

“Ainda assim, eu quero lembrar que ter planejamento para um evento não quer dizer que necessariamente ele vai ser realizado”, prosseguiu o prefeito do Rio. “É plenamente possível cancelar o que foi planejado. Mas a gente está fazendo o dever de casa e na torcida para que o cenário favorável de hoje se mantenha.”

Paes afirmou ainda que “nada vai ser anunciado de forma irresponsável”. “Vamos seguir atentos e vigilantes”, disse o prefeito.

Ontem, a Secretaria Municipal de Saúde do Rio revelou que o Réveillon seria mantido, depois de uma reunião com representantes do comitê científico da prefeitura.

Ômicron

Na gravação, Eduardo Paes fala sobre a descoberta da variante Ômicron. “Diante de tanta incerteza e especulação, quero lembrar novamente que a única certeza que a gente tem é que só há uma forma de vencer a covid e ela se chama vacina”, disse o prefeito do Rio.

“Quem ainda não tomou a segunda dose, por favor, vá ao posto se vacinar”, continuou Paes. “Essa nova variante surgiu em um lugar onde não há nem 30% das pessoas completamente vacinadas. É fundamental que a nossa cobertura vacinal completa chegue ao maior índice possível de pessoas.”

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

7 comentários Ver comentários

  1. Segundo soube agora pela manhã dia 02/12, esse funcionário público, vai baixar um decreto que vai ficar impossível de andar pelo Rio de Janeiro, só vai poder entrar no local ou usar transporte com passaporte de vacina, isso tudo e pelo réveillon e pelo carnaval e não pelo povo, viramos a Índia vamos ter castras no Rio de Janeiro.

  2. Como condição segura? A Europa está 100% vacinada e sofrendo com o surto de COVID19. Já se sabe que a vacina não previne transmissão! Fazer uma mega aglomeração como costuma acontecer na passagem do ano no Rio é apostar no Diabo. Depois vão dizer que a culpa é do Bolsonaro. Raça de hipócritas.

    1. Se cancelarem o Réveillon e o carnaval, mesmo assim essa desgraça vai se alastrar de qualquer jeito. E vão acusar o Bolsonaro do mesmo jeito. Então que se lasque, façam carnaval, façam réveillon e fod@-se todo mundo, quem usa o cérebro sabe que independente das decisões o culpado sempre vai ser o presidente. Esse mundo enlouqueceu de vez.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.