Brasil quer ajudar OMC a ‘promover o livre-comércio’ entre nações

Interesse é registrado pelo Ministério das Relações Exteriores
-Publicidade-
Brasil quer ajudar a OMC
Brasil quer ajudar a OMC | Foto: Reprodução

O Brasil aproveitou a eleição da economista nigeriana Ngozi Okonjo-Iweala como diretora-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC) para reforçar a importância de aplicar o livre-mercado pelo planeta. Em nota divulgada à imprensa pelo Ministério das Relações Exteriores na manhã desta segunda-feira, 15, o governo brasileiro firma o interesse em colaborar com a entidade internacional para fortalecer o “livre-comércio entre economias”.

Leia mais: “União Europeia sofre queda de 8% na produção industrial em 2020”

No comunicado, o Itamaraty também destaca estar à disposição para auxiliar Ngozi e toda a equipe da OMC a resolver questões internas do órgão. “[Queremos] estimular as reformas necessárias à organização nos seus três pilares — negociações, solução de controvérsias e transparência”, afirma trecho do comunicado creditado ao ministério liderado por Ernesto Araújo, que ainda divulga o interesse especial em questões relativas ao agronegócio.

-Publicidade-

“Trabalhando por um sistema multilateral de comércio com regras que favoreçam a prosperidade econômica”

“O Brasil continuará trabalhando por um sistema multilateral de comércio com regras que favoreçam a prosperidade econômica e a geração de renda e empregos para os brasileiros”, pontua o Ministério das Relações Exteriores no fim da nota oficial.

Sucessora de brasileiro na OMC

Ngozi Okonjo-Iweala assume uma posição vaga desde agosto de 2020, quando o brasileiro Roberto Azevêdo renunciou — ele estava na função desde 2013 e não ficou sequer um dia sem atividade, pois ao deixar a entidade assumiu a vice-presidência da Pepsico, conforme informou Oeste. A nova diretora-geral da OMC foi ministra de Finanças da Nigéria.

Leia também: “A independência do BC e o dinheiro sólido”, artigo do colunista Rodrigo Constantino publicado na Edição 47 da Revista Oeste

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

3 comentários Ver comentários

  1. Pois é, e aqueles caducos ex ministros de relações exteriores fernandistas e lulistas, insistem em denegrir o atual ministro Ernesto Araújo, no pais e no exterior juntamente com seus patronos FHC e LULA. Quanta velhacaria.

  2. Perfeito, o Brasil colaborando pelo um melhor entendimento nas negociações mundo a fora!
    Esse é o dever de um País independente, autônomo e soberano pró humanidade!

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.