Contra a privatização da Petrobras, apenas clichês e bordões

É o que argumenta Ubiratan Jorge Iorio, em artigo publicado na Edição 114 da Revista Oeste
-Publicidade-
A Petrobras precisa ser privatizada
A Petrobras precisa ser privatizada | Foto: Reprodução/Shutterstock

Em artigo publicado na Edição 114 da Revista Oeste, Ubiratan Jorge Iorio argumenta que é necessário privatizar a Petrobras.

Leia um trecho

“Os argumentos contra a privatização da Petrobras são invariavelmente generalidades repletas de bordões e ocas de lógica: ‘o petróleo é nosso’, ‘o setor é estratégico’, ‘não podemos vender o patrimônio público a preço de bananas’, ‘a empresa já é eficiente’, ‘ela tem uma função social’ e outros arroubos juvenis semelhantes, que torturam há bastante tempo os ouvidos apurados. É um panegírico repleto de clichês daquele nacionalismo ultrapassado de Vargas e Brizola e sem nenhuma substância. Puro populismo eleitoreiro.

-Publicidade-

Não existe, simplesmente, o tal ‘patrimônio público’, pois se alguém entrar na sede da Petrobras achando que o prédio lhe pertence, será detido pelos seguranças na portaria e terá de se identificar e informar o que vai fazer. O ‘petróleo é nosso’ é outra falácia, já que, se um motorista ingênuo mandar um frentista encher o tanque do seu carro e disser que não vai pagar por isso, certamente terá problemas. O argumento “estratégico” também é frágil, já que, no caso probabilisticamente impossível de o Brasil se envolver em uma guerra contra o país-sede da empresa privatizada, basta acionar as Forças Armadas e ‘tomá-la’, como, aliás, Evo Morales fez em 2006 com duas refinarias da Petrobras na Bolívia, com a ‘bênção bolivariana’ do então presidente do Brasil. A alegação de que a Petrobras já é eficiente pode ser assim retrucada: sim, você tem razão, mas poderia ser muito mais. E a lenga-lenga de que a empresa tem uma ‘função social’ (seja lá o que for isso) não passa de um pleonasmo enfeitado de boas intenções, uma vez que toda e qualquer empresa, privada ou pública, tem uma função dentro da sociedade, porque as atividades econômicas são também, por definição, sociais.”

Gostou? Dê uma olhada no conteúdo abaixo.

Revista Oeste

A Edição 113 da Revista Oeste vai além do texto de Ubiratan Jorge Iorio. A publicação digital conta com reportagens especiais e artigos de Silvio Navarro, J.R. Guzzo, Guilherme Fiuza, Rodrigo Constantino, Ana Paula Henkel, Cristyan Costa, Bruno Freitas, Dagomir Marquezi, Flávio Gordon, Bruno Meyer, Salim Mattar, Gabrielle Bauer e Edimilson Migowski.

Startup de jornalismo on-line, a Revista Oeste está no ar desde março de 2020. Sem aceitar anúncios de órgãos públicos, o projeto é financiado diretamente por seus assinantes. Para fazer parte da comunidade que apoia a publicação digital que defende a liberdade e o liberalismo econômico, basta clicar aqui, escolher o plano e seguir os passos indicados.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

1 comentário Ver comentários

  1. A prova que “o petróleo é nosso” é só ver os preços controlados pelo mercado mundial.
    Assim como todas as estatais, a esquerda não quer privatizar pois é fonte de corrupcão e cabide de emprego.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.