Governo inicia hoje megaleilão de aeroportos e ferrovias

A expectativa é a de arrecadar R$ 10 bilhões com a venda de 28 ativos
-Publicidade-
O ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, conduz o certame
O ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, conduz o certame | Foto: Divulgação/Agência Brasil

O Ministério da Infraestrutura (Minfra) começa a leiloar 28 bens do governo nesta quarta-feira, 7. Os ativos devem render cerca de R$ 10 bilhões. Com as concessões, cerca de 200 mil empregos serão criados. A primeira rodada inicia-se hoje, com o repasse de 22 aeroportos à iniciativa privada. São esperados R$ 6,1 bilhões. Amanhã, será a fez da Fiol, o primeiro trecho da Ferrovia de Integração Oeste-Leste, entre Ilhéus e Caetité, na Bahia. O trecho, de 537 quilômetros, pode prospectar até R$ 3,3 bilhões de investimentos em 35 anos de concessão, sendo R$ 1,6 bilhão para a conclusão das obras. Na sexta-feira 9, ocorrerá o arrendamento de cinco terminais portuários, sendo quatro no Porto de Itaqui (IQI03, IQI11, IQI12 e IQI13), no Maranhão, e um em Pelotas (PEL01), no Rio Grande do Sul. O governo prevê pelo menos R$ 600 milhões em melhorias nos terminais. No fim do mês, o Minfra fará o certame da BR-153/080/414/GO/TO. A expectativa é a de obter aportes de R$ 8 bilhões.

Leia também: “O que o setor privado pode fazer pela vacinação”, reportagem publicada na Edição 54 da Revista Oeste

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias.
Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

4 comentários

  1. É isso aí. Ainda que sejam os chineses a comprar, essa esquerdalha brasileira vai ter onde fazer parcerias espúrias é na PQP, esperemos que no outro século.

  2. Pois é, esse é um dos componentes dos Ministérios da lavra de Bolsonaro. Dá para condenar o governo Bolsonaro, só porque ele fala “palavrão” e critica nossa honrosa imprensa? Mas, FHC, Ciro, Haddad, Boulos, Jean Willys e até Lula insistem em chama-lo de fascista, incompetente e antidemocrata.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.