Natal: intenção de compra cai quase 25% no país

Esse é o maior recuo registrado nos últimos cinco anos
-Publicidade-
Poder de compra cai quase 25% no Natal
Poder de compra cai quase 25% no Natal | Foto: Divulgação

A intenção de compra dos brasileiros diminuiu aproximadamente 25% neste Natal. De acordo com uma pesquisa feita pelo Instituto Brasileiro de Executivos de Varejo & Mercado de Consumo (Ibevar), esse é a maior recuo registrado desde 2016.

A inflação em alta, os juros, aumento dos preços das mercadorias e o desemprego elevado foram apontados como os principais responsáveis pelo resultado, salientou o estudo publicado na terça-feira 21.

A queda no poder de compra do país vem sendo observada desde o Natal do ano passado. Em 2020, o valor das aquisições foi 5% menor do que o registrado no mesmo período de 2019.

-Publicidade-

Dados da pesquisa de intenção de compras

Segundo os dados do levantamento, dos 30 tipos de produtos analisados, oito apresentaram aumento nos preços superior a 30%. Entre eles temos:

  • ventiladores;
  • aparelhos de vídeo game;
  • fornos;
  • jogos eletrônicos;
  • liquidificadores;
  • fogões.

E outras cinco categorias, como aspiradores de pó, cafeteiras, caixas de som bluetooth, tiveram alta entre 25% e 29%. Também foi identificada uma queda nos valores de algumas mercadorias:

  • Adega climatizada;
  • Câmeras e filmadoras;
  • Lava-louças.

Para o presidente do instituto, Claudio Felisoni de Angelo, essa diminuição é reflexo da menor procura dos brasileiros por turismo e viagens.

No quesito intenção de compras, dos 28 itens listados, só cinco tiveram aumento de procura neste período de festas de final de ano. “Por outro lado, vimos um aumento expressivo na categoria de produtos associados aos jogos eletrônicos, reflexo das restrições sanitárias”, disse Felisoni de Angelo.

Black Friday x Natal

De acordo com a pesquisa, a Black Friday de 2021 acabou “roubando” as vendas que seriam feitas no Natal. Durante as promoções do mês passado, foram registrados 21 manifestações de compras, enquanto em dezembro foram 21 movimentos negativos nas aquisições.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

6 comentários Ver comentários

  1. E a bandidagem que não se conformou em ficar de fora do poder executivo pela primeira vez nas últimas décadas conseguiu o q tanto queriam, também graças a um presidente banana e de rabo preso. Como eu digo, se eles estivessem no poder em 2019, manipulariam as notícias para o outro lado, só mostrariam países que não tiveram Lockdown e o brasileirinho desprovido da própria massa cinzenta veria um mundo todo sem Lockdown, a economia também mataria como está matando, tudo para que eles continuassem no poder, roubando e alimentando seu sistema corrupto que inclui tantas mídias imprestáveis.

  2. Então, será porque? Temos um desgraçado do garçom de Puteiro o larápio Guedes que usurpa tudo dos trabalhadores para dar a elite e quer consumo? E ainda tem um assassino que rouba tudo dos trabalhadores, aparelha as instituições para matà-los de fome. Aí vem vcs tentar justificar o injustificável. Deixem de ser canalhas e falem a verdade seus fdps.

    1. José Roberto, não escreva nada enquanto estiver bêbado, porque daí ninguém entende nada. Tem outra coisa, ninguém quer saber sobre suas frustrações.

  3. Varejo tem apostado na Black Friday. Isso realmente adianta as compras de Natal. Aqui em casa foi assim. Nada de tumulto no Natal.

  4. A grande causa dessa retração é o retorno da inflação, somado ao aumento das taxas de juros que criam no consumidor o receio por dívidas…

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.