Queda dos combustíveis segura prévia da inflação em julho

Com variação de 0,13%, o IPCA-15 tem a menor oscilação desde junho de 2020. Acumulado dos últimos 12 meses é de 11,39%
-Publicidade-
IPCA-15 tem menor variação desde junho de 2020
IPCA-15 tem menor variação desde junho de 2020 | Foto: João Geraldo Borges Junior/Pixabay

Considerado uma prévia da inflação, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15) de julho ficou em 0,13%, 0,56 ponto porcentual abaixo da taxa registrada em junho (0,69%). O levantamento é do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e apontou um recuo significativo no segmento de combustíveis.

A variação do IPCA-15 de julho é a menor desde junho de 2020 (0,02%). No ano, o indicador acumula alta de 5,79% e, nos últimos 12 meses, de 11,39% — abaixo dos 12,04% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores.

Calculado com base em uma cesta de consumo típica das famílias com rendimento entre um e 40 salários mínimos, o IPCA-15 colhe dados de nove regiões metropolitanas do país, além de Brasília e Goiânia. A diferença em relação ao IPCA está na abrangência geográfica e no período de coleta. A pesquisa do mês foi coletada entre 14 de junho a 13 de julho.

Queda de combustíveis impacta prévia da inflação

Houve variações positivas em seis dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados no levantamento do IBGE.  O maior impacto veio do setor de alimentação e bebidas (1,16%), que acelerou em relação a junho (0,25%).

O resultado do grupo foi influenciado principalmente pelo aumento nos preços do leite longa vida (22,27%), maior impacto individual no índice do mês.

Por sua vez, a maior variação veio do setor de vestuário (1,39%), que acumula alta de 11% no ano. Entre as quedas, destacam-se os grupos transportes (-1,08%) e habitação (-0,78%).

A recente aprovação de lei que limita o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), tributo estadual, a um grupo específico de produtos impactou os preços de julho no setor de transportes. A queda no grupo foi influenciada pelo recuo dos combustíveis (-4,88%), em particular da gasolina (-5,01%) e do etanol (-8,16%).

Veja a inflação de julho para cada um dos grupos pesquisados:

Alimentação e bebidas: 1,16%

Habitação: -0,78%

Artigos de residência: 0,39%

Vestuário: 1,39%

Transportes: -1,08%

Saúde e cuidados pessoais: 0,71%

Despesas pessoais: 0,79%

Educação: 0,07%

Comunicação: -0,05%

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.