Servidores da Receita pedem exoneração depois de aprovação do Orçamento

Segundo estimativas do Sindicato Nacional dos Auditores, foram mais de 300 pedidos de dispensa até agora
-Publicidade-
Servidores da Receita pediram exoneração em protesto contra o Orçamento aprovado pelo Congresso Nacional
Servidores da Receita pediram exoneração em protesto contra o Orçamento aprovado pelo Congresso Nacional | Foto: Agência Brasil/Divulgação

Pelo menos 46 auditores e analistas da Receita Federal que ocupavam cargos de confiança como delegados e chefes do órgão no Estado de São Paulo pediram exoneração nesta quarta-feira, 22. No Rio de Janeiro e no Espírito Santo, outros 11 servidores também entregaram seus cargos.

Segundo estimativas do Sindicato Nacional dos Auditores (Sindifisco), foram mais de 300 pedidos de dispensa até agora em todo o país.

Entre aqueles que deixaram seus postos em São Paulo, estão chefes de alfândega, que atuam na liberação de mercadorias no Porto de Santos e em aeroportos. O Ministério da Economia informou que não se manifestará.

-Publicidade-

Na carta de exoneração, os servidores afirmam que a Receita teve seu orçamento reduzido em mais de 50%. Segundo o documento, os cortes afetariam, principalmente, a administração das unidades. Haveria o risco, inclusive, de faltarem recursos para o pagamento de contas de água e energia elétrica.

Na carta, os agora ex-servidores da Receita dizem ainda que o corte no orçamento para 2022 equivale ao valor destinado para o pagamento do aumento salarial nas carreiras da Polícia Federal (PF), da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e do Departamento Penitenciário Nacional (Depen).

O Orçamento de 2022, aprovado na noite de ontem pelo Congresso Nacional, prevê um valor de R$ 1,7 bilhão para o reajuste dessas categorias da polícia.

“Observa-se que o valor do corte orçamentário proposto é proporcional ao valor destinado para a reestruturação da Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, do Departamento Penitenciário Nacional e do Ministério da Justiça”, diz a carta. “Com isso, temos que os valores que serão cortados da Receita Federal do Brasil serão utilizados para satisfazer os reajustes acordados com as carreiras retrocitadas, numa demonstração de absoluto desrespeito à administração tributária.”

Ainda de acordo com os servidores demissionários, o governo teria descumprido um acordo de 2016 relacionado ao pagamento de um bônus por eficiência, no valor de R$ 450 milhões.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

14 comentários Ver comentários

  1. Sindicatos são bons para isso: política é com eles mesmo. Deve ter muita gente capaz de sustituir os funcionários públicos que desistiram por ganhar tão pouco.

  2. “Na carta, os agora ex-servidores da Receita dizem…” Eles não são ex-servidores da Receita, eles não são servidores demissionários. Eles só pediram demissão dos cargos de chefia.

  3. Alô, Redação!
    Cuidado com as impropriedades!
    Pedir exoneração de um cargo de chefia não significa que o servidor deixará o órgão…
    Vocês estão loucos? Isso foi o que a matéria deu a entender, mas é um grande equívoco.
    Até parece que um auditor vai abandonar a Receita porque é contra o orçamento disponível!
    O que alguns ameaçam fazer é deixar a função de Delegado ou Chefe para voltar a ser mais um Auditor-Fiscal ou Analista da Receita.
    Na prática o sujeito recebe o salário de Auditor, vinte e tantos mil, mais uns três mil para assumir como Delegado. Oa analistas ganham seus mais de dez mil e, para ser chefe, uma gratificação de mil e poucos. Por isso ninguém quer ser chefe. Muita dor de cabeça para pouco retorno financeiro. Se dificultar mais a chefia, se apertar o orçamento e o sujeito tiver que quebrar a cabeça para fazer acontecer aí tá na hora de pular fora!
    Foi isso o que aconteceu, procurem mais informações no Portal da Transparência.

    1. Até porque esse pessoal sabe que só o Estado é maluco de pagar o que ele paga pro trabalho que eles fazem. Não são loucos de pedir demissão porque sabem que na iniciativa privada vão receber o valor de mercado pro que fazem.

  4. Mantendo o salário e o emprego, até eu peço exoneração…….essas instituições estão todas aparelhadas…..agora deve vir o STF e dizer que o Ministério da Economia está proibido de cortar gastos desnecessários no país….a ofensiva contra o presidente esta cada vez maior….até quando?????

    1. Até o PR honrar os votos e o apoio do povo e dar um basta definitivo no stf. Mas não pode ser de mentirinha não, tem que partir pro tudo ou nada. Nesse meio termo o mundo vai acabar e a gente não vai sair do lugar.

      1. Quer dizer que num pais que se diz Democratico. O Presidente pode inteferir no Jurdiciario , um poder Independente de acordo com a nossa Constituiçåo, achava que só nas Ditaduras , onde os Ditadores mandam em Tudo.

      2. E depois quem vai segurar o tranco do presidente se fizer essa loucura? Um covarde como vc eu duvido que irá depois as ruas para resguardar um concerteza reação dos opositores, se nem as FFAAs que possuem o poder das armas se posicionam em prol do povo, imagina o próprio povo!

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.