Revista Oeste - Eleições 2022

Sindicato decide manter greve de servidores do BC

Funcionários pedem reajuste salarial de quase 30%
-Publicidade-
Edifício-sede do Banco Central, em Brasília | Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil
Edifício-sede do Banco Central, em Brasília | Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

A reunião entre o presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, e os sindicatos que representam os servidores do BC terminou sem avanços nas negociações para o fim da greve.

A informação foi confirmada por Fábio Faiad, presidente do Sindicato Nacional dos Funcionários do Banco Central (Sinal). A categoria exige quase 30% de “recomposição salarial”.

“Nenhuma proposta de reajuste salarial foi feita”, comunicou Faiad, em nota publicada na sexta-feira 3. “Logo, os servidores do BC continuarão com a greve por tempo indeterminado.”

-Publicidade-

O sindicato também informou que a paralisação deve afetar a divulgação da taxa de câmbio calculada pelo BC, a PTAX, e de outros dados econômicos.

“A greve tem adesão majoritária e vai continuar a afetar a divulgação da PTAX, a assinatura de processos de autorização no sistema financeiro, a realização de eventos e reuniões com o sistema financeiro e outras atividades”, ressaltou Faiad.

O presidente do Sinal ponderou que o Pix não vai ser interrompido por ser uma “criação dos servidores do BC em prol da sociedade brasileira e não pelo atual governante ou por qualquer outro governo”.

O sindicato repudiou o “uso eleitoral do Pix por certo grupo político”. Citou que a portaria que instituiu o grupo de trabalho para o desenvolvimento da ferramenta foi publicada em maio de 2018, “muito antes da eleição do atual governo”.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

7 comentários Ver comentários

  1. Funcionários que querem porque querem uma remuneração que o momento não comporta essa despesa a maior. Até porque os do Banco Central, são altamente remunerados e decidiram que o povo de um modo geral que se lasque. Eu não gostaria que fossem demitidos, mas se fossem eu, gostaria, aí sim, de saber onde encontrariam um emprego com tantas vantagens Por que não dizem ao seu empregador que vão se demitir, pois lá fora seriam melhor aquinhoados?

  2. MAS QUE ABSURDO: UMA CATEGORIA QUE, ALÉM DE ÓTIMOS SALÁRIOS, NÃO
    DEIXOU DE RECEBER UM CENTAVO A MENOS, E NOS DIAS CERTOS, DURANTE A
    PANDEMIA, ENQUANTO MUITOS CIDADÃOS PERDERAM SUAS FONTES DE RENDAS
    E FORAM CRIMINOSAMENTE IMPEDIDOS DE EXERCER SUAS ATIVIDADES. E COMO PODE SER QUE SINDICATOS RESOLVAM CONTINUAR A GREVE ????????!!!!!!!! SINDICATO É BABÁ DE FUNCIONÁRIOS??????!!!!!!!! COMO DIZ VELHO DITO POPULAR: QUEM CARREGA NO COLO LEVA PARA ONDE QUER!

  3. É por isso que a reforma administrativa não avança, os miseráveis se valem da estabilidade no emprego, a omissão dos superiores, quase sempre políticos e fazem estratégicas paradas na greve para não caracterizar o abandono. Se o banco continua operando, então essa gente deveria ser colocada em trabalho de home office, mas costados todos os acessos aos suftwares do banco, cancelar senhas, etc…., já que não estão trabalhando. Passada a paralização os caras ficam em casa parados até pedirem as contas.

  4. O funcionalismo público merece um corretivo. Se metade do quadro de parasitas públicos recebesse um aviso de demissão, já resolveria uma parte dos problemas do país.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.