Dinamarca: volta ao quase normal

Com testagem em massa, atividades serão reabertas no país a partir desta sexta, 21 de maio
-Publicidade-
Dinamarca: reabertura com testagem em massa para covid-19
Dinamarca: reabertura com testagem em massa para covid-19 | Foto: Divulgação/Pixabay

A população da Dinamarca já tem data para voltar a uma vida praticamente normal — 21 de maio, a próxima sexta-feira —, anunciou o governo local na terça-feira 18. Todas as atividades serão reabertas, com exceção das casas noturnas.

A reabertura se deve ao fato de o país escandinavo investir em testagem em massa, já que o projeto de acelerar o ritmo de vacinação fracassou após relatos de efeitos colaterais das doses da AstraZeneca. Como noticiado por Oeste, a Dinamarca foi o primeiro país a interromper o uso do imunizante. Até esta terça, cerca de 29% da população havia recebido a primeira dose de alguma vacina. E um pouco mais de 18% dos dinamarqueses receberam a segunda.

Leia também: “Dinamarca renuncia à vacina da Johnson & Johnson”

-Publicidade-

De acordo com o WorldoMeter, a nação é líder em testes de Sars-Cov-2. Desde o começo da pandemia, foram realizados 48 milhões de exames, totalizando mais de oito kits de diagnóstico por habitante. O Reino Unido, que também se serve da testagem em massa para realizar o desconfinamento, utilizou 2,49 testes por habitante, e os Estados Unidos, 1,4.

“A Dinamarca tem as ferramentas certas para manter a epidemia controlada: uma grande capacidade de teste e de ação no caso de surtos locais, rompendo as cadeias de infecção”, afirmou o ministro da Saúde, Magnus Hunicke, nesta terça-feira.

Um experimento em Bornholm, ilha turística do país, comprovou o impacto positivo dos diagnósticos. Nela, a população local passou a realizar dois testes diários para a covid-19. E, mesmo com um grande número de visitantes durante o feriado de Páscoa (a população na ilha costuma aumentar em até 25% nessa ocasião), a taxa de contágio se manteve controlada.

Reabertura

Com a reabertura nesta sexta, as companhias poderão ter 20% de ocupação presencial. Em 14 de junho, o número passa para 50%, e, em 1º de agosto, para 100%. Reuniões de até 50 pessoas em ambientes externos e 100 ao ar livre poderão ser realizadas. Esses limites devem ser ampliados em julho e totalmente liberados em agosto, exceto grandes aglomerações, como festivais.

O ensino superior e escolas para a população adulta também poderão retomar as aulas presenciais, como já vinha ocorrendo na educação básica. Viagens turísticas para outras 30 nações europeias estão liberadas, com algumas regras, como testagem e quarentena.

O aplicativo coronapas, uma espécie de passaporte contra a covid-19, que registra resultados dos testes para o novo coronavírus, doses de vacinação que o usuário recebeu ou a recuperação da doença, conforme reportou Oeste, deve ser extinto em julho. E, no fim de agosto, época em que se espera que a população acima de 16 anos esteja vacinada, máscaras devem deixar de ser exigidas.

Leia também: “Dinamarca adota coronapas, um ‘passaporte’ contra a covid-19″

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.