-Publicidade-

Ernesto Araújo fala sobre Petrobras, EUA, OCDE e China

Chanceler respondeu a questionamentos feitos por colunistas da Revista Oeste
Ernesto Araújo é o chanceler do Brasil
Ernesto Araújo é o chanceler do Brasil | Foto: Reprodução/YouTube/Jovem Pan

O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, falou sobre assuntos como mudança de comando da Petrobras, relação com os Estados Unidos e a China e o interesse do Brasil em ingressar à Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). Os temas foram abordados pelo chanceler brasileiro durante entrevista concedida a Os Pingos nos Is, programa da rede Jovem Pan. O conteúdo foi ao ar na noite desta terça-feira, 23.

Leia mais: “China pede a Biden que reverta medidas de Trump”

Primeiramente, o ministro foi instigado a analisar a questão da Petrobras. Evitando comentar diretamente a troca de comando anunciada na última semana pelo presidente Jair Bolsonaro e a seguinte perda de valor de mercado da companhia, Araújo demonstrou confiança na economia brasileira como um todo. “Não é movimento de fuga de capitais estrangeiros”, afirmou. “A estrutura da economia brasileira tem atraído investidores”, reforçou.

Na sequência, o chefe do Itamaraty respondeu a questionamentos feitos por três colunistas da Revista Oeste.

  • Relação com os EUA

Sobre os Estados Unidos, Ernesto Araújo destacou que já deu início a uma “agenda positiva” junto a John Kerry, enviado especial para o clima do país norte-americano. Nesse sentido, afirmou já ter ao lado do também ministro Ricardo Salles (Meio Ambiente) conversado por videoconferência com o integrante do governo Joe Biden. “Queremos ter uma relação forte com os Estados Unidos”, respondeu em resposta a Ana Paula Henkel.

  • Entrada na OCDE

Por falar em Biden no lugar de Donald Trump no comando da Casa Branca, o chanceler aproveitou para mais uma vez defender a entrada do Brasil à OCDE. De acordo com ele, a mudança de poder nos Estados Unidos não afetará esse processo. Reforçou que o ingresso do país trará benefícios à própria organização. “A candidatura brasileira faz total sentido à OCDE”, pontuou ao ser questionado por Guilherme Fiuza. “Somos uma das dez maiores economias do mundo”, enfatizou.

  • Relação com a China

Ernesto Araújo também respondeu a uma pergunta feita por Augusto Nunes sobre o relacionamento do Brasil com a China. Mais uma vez, a declaração do ministro das Relações Exteriores foi positiva. “As relações do Brasil com a China vão muito bem”, disse, antes de dar exemplo que conota a força econômica da parceria com o país asiático. “O comércio cresceu. As exportações do Brasil com a China cresceram”, complementou.

Leia também: “A independência do BC e o dinheiro sólido”, artigo do colunista Rodrigo Constantino publicado na edição 47 da Revista Oeste.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês