Europa poderá vacinar todos os adultos com a 3ª dose

A recomendação partiu do Centro de Controle de Doenças para conter o aumento de casos antes da chegada do inverno
-Publicidade-
O continente europeu voltou a ser o epicentro da pandemia nas últimas semanas
O continente europeu voltou a ser o epicentro da pandemia nas últimas semanas | Foto: Yara Nardii/Reuters

A terceira dose da vacina contra a covid-19 deverá ser aplicada em todos os adultos na Europa.

A recomendação do Centro Europeu de Prevenção e Controle de Doenças (ECDC) foi feita nesta quarta-feira, 24.

Em um relatório sobre o andamento da situação epidemiológica na União Europeia (UE), a agência informou que a aceleração do reforço vacinal pode reduzir o impacto da variante Delta entre os meses de dezembro e janeiro.

-Publicidade-

“Os países deveriam levar em consideração uma dose de reforço para todos os adultos a partir de 18 anos, com prioridade às pessoas com mais de 40 anos”, disse a diretora da ECDC, Andrea Ammon.

O portal Our World in Data, diz que cerca de 66% da população da UE está totalmente vacinada contra a covid-19. Porém, os índices são desiguais entre os países.

Enquanto Portugal lidera o ranking, com 87% de vacinados, a Eslováquia aparece na outra ponta, com apenas 42% da população imunizada.

O continente europeu voltou a ser o epicentro da pandemia nas últimas semanas, e diversos países, como Áustria e Alemanha, endureceram medidas sanitárias. O objetivo é conter a explosão dos casos antes da chegada do inverno, em dezembro.

Ammon alertou que “o atual nível de vacinação será insuficiente para limitar o ônus dos casos de covid e das internações hospitalares, sobretudo nos países com índices inferiores de imunização”, ao pedir urgência para combater o “abismo imunitário” no bloco.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

2 comentários Ver comentários

  1. Quanto mais intervenção de políticos em processos que deveriam ser eminentemente médicos, só piora a situação. O vírus foi tão politizado que não se consegue falar em tratamento, tanto que na minha opinião, primeiro se entende como tratar a doença e depois de como não adquiri-la. A grande mídia com seus “ESPECIALISTAS”, teóricos que nunca trataram ninguém, com intervenções amalucadas, estão conseguindo prolongar a atividade desse vírus no mundo. O vírus tem baixa letalidade, a priori sabemos quem são as vítimas preferidas, já conhecemos tratamento eficaz quando ministrado na fase precoce e mesmo isso não é reconhecido pelos tais “ESPECIALISTAS” que trobeteiam aos quatro ventos que é ineficaz porque não está descrito na bula.

    1. Com essas vacinas experimentais e pelo visto de baixa eficiência, poderemos criar vírus mais resistentes até prejudicando o futuro tratamento da doença.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.