Joe Biden volta a pedir apoio dos republicanos para elevar o teto da dívida

Presidente dos Estados Unidos afirma que, se oposição não apoiar a medida, governo pode dar um calote 'catastrófico'
-Publicidade-
Joe Biden, presidente dos Estados Unidos, voltou a cobrar a oposição republicana
Joe Biden, presidente dos Estados Unidos, voltou a cobrar a oposição republicana | Foto: Reprodução/Redes sociais

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, subiu o tom contra o Partido Republicano nesta segunda-feira, 4, em pronunciamento no qual voltou a pressionar a oposição no Senado para que aprove a elevação do teto da dívida do governo federal.

A medida vem enfrentando dura resistência por parte dos senadores republicanos. Sem o aumento do teto, o governo Biden corre o risco de não honrar seus compromissos.

Leia mais: “Democratas planejam aumento de impostos para ‘pagar a conta’ de agenda de Biden”

-Publicidade-

“O que eles [republicanos] estão fazendo hoje é inconsequente e perigoso. Não são apenas os republicanos se recusando a fazer o seu trabalho. Eles estão ameaçando abusar do poder deles para evitar que façamos nosso trabalho ao salvar a economia de um evento catastrófico”, afirmou Biden.

No mês passado, a Câmara dos Representantes dos EUA, de maioria governista, aprovou um projeto que suspendia a aplicação do teto até o fim de 2022. Em 2019, ainda durante o governo do ex-presidente Donald Trump, o limite chegou a ser suspenso por dois anos. O prazo venceu no último dia 31 de julho.

Leia também: “Na pandemia, migração ilegal de brasileiros para os EUA bate recorde”

Na semana passada, a secretária do Tesouro dos EUA, Janet Yellen, pediu uma “ação urgente” do Congresso para elevar o teto. Segundo ela, caso isso não ocorra rapidamente, o governo não deve conseguir honrar seus pagamentos depois do dia 18 de outubro.

“Sabemos que impasses anteriores sobre limite da dívida que esperam até o último minuto para ser resolvidos causam sérios danos à confiança dos negócios e aos consumidores, elevam os custos para os contribuintes e impactam a nota de crédito dos EUA por muitos anos”, disse a secretária.

Leia também: “Kamala Harris provoca crise diplomática por suposta apologia de discurso contra o Estado de Israel”

Com informações da agência Reuters

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.