Mísseis russos atingem a Polônia, país da Otan, e governo convoca reunião

Foi a primeira vez na guerra que armas da Rússia caíram sobre um país da Organização do Tratado do Atlântico Norte
-Publicidade-
A explosão aconteceu próxima ao vilarejo de Przewodow, a cerca de 20 quilômetros da fronteira com a Ucrânia - 15/11/2022 | Foto: Reprodução
A explosão aconteceu próxima ao vilarejo de Przewodow, a cerca de 20 quilômetros da fronteira com a Ucrânia - 15/11/2022 | Foto: Reprodução

Dois mísseis russos atingiram uma fazenda na Polônia, perto da fronteira com a Ucrânia, conforme a mídia polonesa. Trata-se da primeira vez, desde o início do conflito entre a Rússia e a Ucrânia, que um país da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) é atacado.

“Os bombeiros estão no local”, disse Lukasz Kucy, oficial de plantão, em um local próximo ao vilarejo de Przewodow, onde ocorreu a explosão, a cerca de 20 quilômetros da fronteira ucraniana. “Não está claro o que aconteceu.” A imprensa local mostrou uma imagem de um buraco no chão e um veículo agrícola capotado.

Polônia convoca Conselho de Segurança

-Publicidade-

Um porta-voz do governo disse à agência de notícias Reuters que o primeiro-ministro polonês, Mateusz Morawiecki, convocou o Comitê do Conselho de Ministros de Segurança Nacional e Assuntos de Defesa, “devido à situação de emergência”.

EUA estão tentando descobrir o que houve

Um alto-comissário da Casa Branca informou à CNN que não há confirmação de nenhum ataque de foguete ou míssil na Polônia, mas que as autoridades dos EUA estão trabalhando para tentar descobrir exatamente o que aconteceu.

Autoridades dos EUA também monitoram relatos de dezenas de ataques com mísseis na Ucrânia ao longo do último dia.

A porta-voz do Conselho de Segurança Nacional, Adrienne Watson, publicou que eles observaram os relatos, mas também disse que ainda estão determinando o que aconteceu. “Estamos trabalhando com o governo polonês para coletar mais informações. Vamos determinar o que aconteceu e quais seriam os próximos passos apropriados.”

Reações

Em uma publicação nas redes sociais, o perfil oficial do Ministério das Relações Exteriores da Estônia manifestou preocupação com os relatos e fez menção ao vínculo do país com a Otan.

“As últimas notícias da Polônia são muito preocupantes”, diz a publicação. “Estamos consultando de perto a Polônia e outros aliados. A Estônia está pronta para defender cada centímetro do território da Otan.”

O Pentágono também confirmou que os Estados Unidos estão cientes dos relatos e que “defenderão cada centímetro do território da Otan”.

O general Patrick Ryder, do Departamento de Defesa dos EUA, afirmou que seu país está “muito confiante” em relação à proteção de força na Europa.

“Quando se trata de proteção de força, sempre levamos muito a sério a proteção e a segurança das nossas tropas, não importa onde estejam servindo”, disse Ryder.

O ministro da Defesa da Letônia, Artis Pabriks, garantiu que “o país está totalmente do lado dos amigos poloneses”.

O presidente da Lituânia, Gitanas Nauseda, disse que o país está “mantendo um contato próximo” com a Polônia, acrescentando que “cada centímetro do território da Otan deve ser defendido”.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

4 comentários Ver comentários

  1. Seus MENTIROSOS! Já ficou cabalmente demonstrado que foram mísseis S-300 mal direcionados do sistema de defesa antiaérea da Ucrânia! Parem com as fake news!

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.