Órgão eleitoral da Venezuela faz auditoria em sistema de votação

Eleições regionais estão marcadas para o dia 21 de novembro
-Publicidade-
Nicolás Maduro, ditador da Venezuela, insiste em classificar o sistema político do país como 'democracia'
Nicolás Maduro, ditador da Venezuela, insiste em classificar o sistema político do país como 'democracia' | Foto: Reprodução/Redes sociais

O Conselho Nacional Eleitoral da Venezuela (CNE) iniciou na segunda-feira 1º uma auditoria nas máquinas de votação e no processo de contagem de votos para eleições regionais que acontecem no dia 21 de novembro. Técnicos do órgão e representantes de partidos políticos acompanharam o procedimento.

De acordo com o CNE, a análise do sistema de votação incluiu atualização de aplicativos, checagem do banco de dados, configuração de infraestrutura, serviços e protocolos de cibersegurança e interação entre as máquinas e o centro de apuração dos votos. O órgão informou que os resultados da auditoria serão conhecidos no dia 19.

Setenta mil candidatos vão participar das eleições regionais venezuelanas. Serão mais de 3 mil cargos em disputa, incluindo 23 de governadores, 335 de prefeitos, além de mais de 2,5 mil de parlamentares para os Conselhos Legislativos.

-Publicidade-

Comandada por Nicolás Maduro, a ditadura da Venezuela é alvo de uma série de sanções e absoluta desconfiança por parte da comunidade internacional. Apesar de prender opositores, perseguir a imprensa independente e das denúncias envolvendo irregularidades e fraudes em eleições recentes, o ditador afirma que o regime do país é uma democracia.

Como informado por Oeste, o procurador-geral do Tribunal Penal Internacional (TPI), o britânico Karim Khan, iniciou no domingo 31 uma visita de três dias à Venezuela. O país é alvo de uma investigação preliminar na Corte por crimes contra a humanidade.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

2 comentários Ver comentários

  1. A Venezuela poderia requisitar o Barroso, aquele das “urnas inviolaveis”(sic), para fiscalizar as eleições desse país. Com certeza Barroso irá aprovar e homologar essas urnas venezuelanas.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.