Rússia decide bloquear Instagram

Rede social passou a permitir postagens violentas contra o presidente e os soldados do país
-Publicidade-
Instagram é controlado pela Meta
Instagram é controlado pela Meta | Foto: Reprodução/Pixaby

O Instagram foi bloqueado na Rússia, depois que a Meta, controladora da rede social, liberou postagens violentas contra Vladimir Putin, presidente do país, e soldados envolvidos na invasão à Ucrânia. Promotores russos exigiram que o acesso à plataforma seja bloqueado nesta sexta-feira, 11, depois de relatos da mídia sobre o relaxamento das políticas de discurso de ódio relacionadas à guerra.

Por meio de um comunicado, o gabinete do procurador-geral da Rússia disse que passou a reconhecer a Meta como uma “organização extremista e proibir suas atividades no território da Rússia”. A nota afirma que a plataforma também foi usada para incitar “motins em massa, acompanhados de violência”.

Vários governadores regionais russos também excluíram suas contas do Instagram hoje, segundo a agência de notícias estatal RIA Novosti.

-Publicidade-

A Meta também controla o Facebook, cujo acesso foi bloqueado pelo governo da Rússia na semana passada. A repressão ao gigante da mídia social limitará ainda mais o acesso da maioria dos russos a informações externas sobre a guerra, aumentando a influência da mídia estatal.

Uma legislação aprovada pelo governo russo na semana passada estabelece 15 anos de prisão para quem compartilhar “informações falsas” sobre a guerra no país.

Liberação do discurso de ódio

Segundo a agência de notícias Reuters, a Meta enviou aos moderadores um e-mail comunicando a liberação das mensagens que feririam a “política de discurso de ódio”.

“Estamos emitindo um subsídio de espírito da política para permitir discurso violento, que de outra forma seria removido, sob a política de discurso de ódio quando: (a) alvejar soldados russos, exceto prisioneiros de guerra, ou (b) alvejar russos onde é claro que o contexto é a invasão russa da Ucrânia”, escreveu no e-mail.

“Como resultado da invasão russa à Ucrânia, temporariamente permitimos formas de expressão política que normalmente violariam nossas regras, como discurso violento de ‘morte aos invasores russos’”, disse um porta-voz da Meta, em comunicado, segundo a  Reuters. “Ainda não permitiremos apelos que peçam a violência contra civis russos.”

Leia também: “Bomba e purpurina”, conto de Guilherme Fiuza para Edição 103 da Revista Oeste

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

2 comentários Ver comentários

  1. Não gosto do Putin, para mim, ele é um tirano monstruoso. Agora, o “Meta” deixar o “discurso de ódio” dentro do conceito de guerra,isto é ridículo!!! Se Alemanha e Itália( exemplo), entrarem em guerra, qual país o “Zelda” vai apoiar? Sendo dois países democráticos? Esta narrativa não para em pé. São hipócritas.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.