Adélio Bispo vai continuar em presídio federal em Campo Grande

STJ manteve decisão anterior de ministro, que vê perigo em permitir retorno às ruas do homem que esfaqueou Jair Bolsonaro
-Publicidade-
Adélio Bispo continuará preso por ser considerado perigoso para a sociedade e não haver vaga em hospital psquiátrico para ele | Foto: Divulgação
Adélio Bispo continuará preso por ser considerado perigoso para a sociedade e não haver vaga em hospital psquiátrico para ele | Foto: Divulgação | adélio bispo, prisão, campo grande, stj, decisão, justiça, facada, jair bolsonaro

STJ manteve decisão anterior de ministro, que vê perigo em permitir retorno às ruas do homem que esfaqueou Jair Bolsonaro

adélio bispo, prisão, campo grande, stj, decisão, justiça, facada, jair bolsonaro
Adélio Bispo continuará preso por ser considerado perigoso para a sociedade e não haver vaga em hospital psquiátrico para ele | Foto: Divulgação
-Publicidade-

A Terceira Seção do Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu manter Adélio Bispo de Oliveira, autor da facada contra o presidente Jair Bolsonaro, na Penitenciária Federal de Campo Grande.

Na decisão, tomada na quinta-feira, 13, e divulgada na sexta-feira, os ministros mantiveram a decisão individual do ministro Joel Ilan Paciornik e entenderam que Adélio deveria continuar preso devido a sua periculosidade e diante da falta de um hospital para tratamento psiquiátrico.

Em junho de 2019, a Justiça absolveu Adélio pelo crime contra Bolsonaro, ocorrido durante a campanha eleitoral de 2018, em Juiz de Fora (MG). A determinação judicial foi proferida após o processo criminal que o considerou inimputável por transtorno mental.

O caso está no STJ, porque a Justiça Federal do Mato Grosso do Sul e a de Juiz de Fora divergiram sobre o local onde Adélio deveria ficar preso.

Em março, o juiz Dalton Conrado, da Justiça Federal em Campo Grande, havia determinado que Adélio não poderia continuar no presídio federal. Para o magistrado, ele precisaria ficar em “local adequado” para tratamento psiquiátrico.

Diante da decisão, o juiz Bruno Savino, da 3ª Vara da Justiça Federal da cidade mineira, enviou o caso para ser decidido pelo STJ. Segundo o magistrado, o hospital psiquiátrico de Barbacena (MG) informou que não havia vagas disponíveis nem como garantir a segurança do local.

Durante o processo, a defesa de Adélio afirmou que ele agiu sozinho e que o ataque foi apenas “fruto de uma mente atormentada e possivelmente desequilibrada” por conta de um problema mental.

Com informações da Agência Brasil.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.
-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site