Bolsonaro diz esperar que STF mantenha igrejas abertas

Palavra final será do plenário da Corte, que se reúne nesta tarde
-Publicidade-
Presidente do STF, Luiz Fux, em sessão realizada por videoconferência | Foto: Fellipe Sampaio /SCO/STF
Presidente do STF, Luiz Fux, em sessão realizada por videoconferência | Foto: Fellipe Sampaio /SCO/STF

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quarta-feira, 7, esperar que o Supremo Tribunal Federal libere a realização de cultos e missas durante a pandemia. “Quem não é cristão, que não vá, mas não queira tirar o direito, a liberdade de quem quer procurar um pastor ou um padre”, disse em visita a Chapecó, Santa Catarina.

No sábado 3, o ministro Kassio Nunes Marques liberou atividades religiosas presenciais desde que respeitadas medidas sanitárias. Na segunda-feira 5, Gilmar Mendes decidiu barrar as celebrações no Estado de São Paulo. A palavra final será do plenário da Corte, que se reúne nesta tarde.

-Publicidade-

Leia mais: “Lira quer aprovar urgência para alterar Lei de Segurança Nacional”

“Espero que daqui a pouco, como está previsto, [quando] o Supremo Tribunal Federal julgar liminar do ministro Kassio Nunes, ou que a liminar seja mantida ou que alguém peça vista para que nós possamos discutir um pouco mais”, disse Bolsonaro. “Qual é o último local que alguém procura antes de praticar suicídio? — que aumentou e muito no Brasil. São as igrejas.”

O presidente também garantiu que não vai impor lockdown nacional e que as Forças Armadas não vão ajudar governadores no cumprimento de medidas restritivas.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.