Revista Oeste - Eleições 2022

Bolsonaro sobre questionamentos ao TSE: ‘não vamos bater em retirada’

Presidente voltou a criticar a resistência do tribunal em dialogar sobre sugestões elaboradas pelas Forças Armadas
-Publicidade-
Bolsonaro falou sobre segurança do processo eleitoral durante discurso em Manaus
Bolsonaro falou sobre segurança do processo eleitoral durante discurso em Manaus | Foto: Alan Santos/PR

O presidente Jair Bolsonaro (PL) voltou a cobrar o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) a respeito da abertura de diálogo sobre o processo eleitoral deste ano. Em visita a Manaus no último sábado, 18, o chefe do Executivo criticou mais uma vez a resistência da Corte em acolher sugestões técnicas elaboradas pelas Forças Armadas.

Bolsonaro falou sobre o tema durante participação no evento Ato de Unção Apostólica do Ministério da Restauração, em Manaus. O presidente voltou a expor a animosidade na relação com o TSE, citando a postura do atual presidente do tribunal, Luiz Edson Fachin.

“Temos um comando de defesa cibernética com especialidade nisso, militares altamente qualificáveis. As Forças Armadas descobriram 500 vulnerabilidades e apresentamos uma dúzia de sugestões. O que o TSE fez? Ignorou as Forças Armadas. Nós não vamos bater em retirada, vamos até o final”, declarou o presidente.

-Publicidade-

“O Fachin disse que eleições são coisa para ‘Forças desarmadas’, mas ele me convidou para entrar na casa. Sou o chefe das Forças Armadas, esqueceram disso. Entrego a presidência se forem eleições limpas, não podemos perder a democracia numa eleição.”

Durante o discurso a apoiadores em Manaus, Bolsonaro ainda criticou Rosa Weber, que presidiu o TSE durante as eleições de 2018, e voltou a colocar em dúvida a segurança da apuração no país. Segundo o atual ocupante do Palácio do Planalto, a ministra deu andamento a denúncias sobre fraudes naquela oportunidade apenas porque pretendia prejudicá-lo.

“Houve uma denúncia de fraude nas eleições em 2018. Deve ter passado na cabeça da presidente do TSE: ‘vamos tirar Bolsonaro e colocar Haddad (candidato derrotado do PT)’. O TSE informou que os hackers tiveram acesso a senhas e navegaram nos computadores do tribunal o tempo todo. Como são feitas apurações das urnas no Brasil? Numa sala-cofre, ninguém tem acesso.”

Leia também: Ameaça suprema, artigo de Rodrigo Constantino na Edição 116 da Revista Oeste.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

18 comentários Ver comentários

  1. Presidente, com essa raça imunda não tem nada limpo nem as claras, então nada de tergiversar nem meias conversas, é no seco, passar pó de vidro e empurrar.

  2. Parabéns Presidente não bata em retirada desses DITADORES DE TOGA. O Brasil é maior do que qualquer MINISTROS DO STF,SENADORES ,DEPUTADOS FEDERAIS GOVERNADORES E DEPUTADOS ESTADUAIS, PREFEITOS E VEREADORES. #StfDaVergonha #FechadoComBolsonaro #EuQueroVotoImpresso

  3. Passando por cima de todas essas tecnicidades expostas nessa área de comentários e que não ouso dar meus pitacos, pois mal sei como ligar um computador e só faço algo com ele apenas coisas superficiais o mínimo necessário para operá-los. Posto isso, pergunta-se: Estamos em 19/06, para 02/10 faltam então apenas 105 dias, eu acho que isso não se resolverá até lá e aí pode acontecer duas coisas:
    1 – O Bolsonaro e a FFAA’s desistirem de avançar com as medidas necessárias a ter um pleito o mínimo transparente e aí o golpe que ainda está em curso sair vitorioso nisso daí. E o que acontecer daí em diante, será algo imprevisível e nada agradável.
    2 – Haver uma reação e não ter eleições ainda esse ano, até que se resolvam essas pendências e o país acordar em 03/10 em paz, seja que resultado for. (recomendável)

  4. Uma parcela da culpa, são dos parlamentares, tendo boa parte que estão lá, suspeitos, esse foi o real motivo de não ter passado o projeto das urnas auditáveis. E claro, a interferência do STF no Congresso. Parças….

  5. No Windows95, por exemplo, quando se digitava em uma lista de escolha a primeira letra da UF de um dos 27 estados da federação já aparecia a primeira UF com a primeira letra coincidente. Se quisesse “SP” e digitasse o “S” primeiro aparecia “SC” e depois o usuário escolhia “SP” na lista. O Sistema Operacional foi corrigido depois. Acho que usaram muitas urnas com a mesma teoria do Windows95 pois comigo aconteceu que digitei o primeiro digito “1” e já apareceu o Haddad e logo completei o segundo digito com “7” aí apareceu o Bozo. Acho que meu voto foi para o Bolsonaro mesmo. Pode ser que induz o eleitor a digitar outro número. Mesmo assim, com essa resistência do TSE em colocar urnas auditaveis comecei a desconfiar. É tão simples digitar um número e somar isso em outro número, pois o boletim só mostra o total na urna. Não dá para auditar.

  6. Siga firme PRESIDENTE, esse “até o fim” o Sr não estará sozinho, somos dezenas de milhões, estivemos, estamos e continuaremos juntos, ATÉ O FIM. Cuidado (esquerdalha) ao encurralar uma fera (povo), não nos deixe como única opção o ataque, prq iremos p cima com toda a força que move o nosso coração.

  7. Parece que JB finalmente encontrou a forma de encurralar STE, batendo diariamente com clareza e firmeza nas fraquezas e nos pontos incompreensíveis da Corte. Ele nomeia o responsável e dá o recado sem usar palavrões ou piadinhas desengonçadas.

  8. Já escrevi mil vezes sobre isso, daqui a pouco acabo preso pelo cabeção, mas meu voto no 17 no primeiro turno fechou antes que eu pudesse confirmar. Não só o meu, mas de várias pessoas no local onde voto. Informei ao presidente da seção, a PM já estava lá pelo mesmo fato, que era recorrente. Depois do segundo turno ninguém mais falou sobre isso.

    1. Pres. BOLSONARO, no seu próximo governo, a partir de 2023, acabe com essa excrescência denominada TSE, assim como a Funai, o Incra , o min.Publico e o TST.

  9. O Ministério da Defesa tem que desenvolver com seus TIs e Tis independentes, software para atualização tecnológica das urnas eletrônicas, com transparência e auditoria, que me parece possível criando uma urna substituta do VOTO IMPRESSO, que registrasse o VOTO ELETRONICO após a confirmação do eleitor conforme foi estabelecida para o VOTO IMPRESSO. Evidentemente esta urna será de exclusiva utilização das FFAA para fazer AUDITORIA de urnas sorteadas pós encerramento das eleições e também se necessário para APURAÇÃO TOTAL das urnas e compara-las com a APURAÇÃO OFICIAL do TSE. Na divergência, valerá a APURAÇÃO AUDITADA pelo Ministério da Defesa, ou alguém teria receio da instituição que mais transmite confiança e segurança na população?. Assim, evitaremos graves conflitos que sobrarão para as FFAA solucionar e o TSE ficar assistindo. Qual o problema em ser TRANSPARENTE, TSE?

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.