-Publicidade-

Kajuru deve entregar ao Senado 3 milhões de assinaturas contra Moraes nesta semana

Senador é autor de pedido de impeachment contra o ministro do Supremo
O ministro do STF Alexandre de Moraes é alvo de pedido de <i>impeachment</i>
O ministro do STF Alexandre de Moraes é alvo de pedido de impeachment | Foto: Pedro França/Agência Senado

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, disse em entrevista realizada ontem, 22, no programa Os Pingos nos Is, da rádio Jovem Pan, que a análise de pedido de impeachment de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) não é prioridade.

Apesar da afirmação de Pacheco, o senador Jorge Kajuru (Cidadania-GO) disse hoje a Oeste que continua otimista em relação ao avanço do pedido de impeachment contra o ministro do STF Alexandre de Moraes. “O Pacheco mandou mensagem e disse que vai nos receber esta semana, deve ser na quinta-feira, para que possamos entregar os 3 milhões de assinaturas e discutir a questão.”

Ainda, Kajuru questionou o presidente do Senado sobre o argumento de que o assunto não é prioritário: “E assim que acabar essa prioridade?”. “Aí pode ter certeza de que nós vamos discutir”, respondeu Pacheco. “Acredito que, com a pressão popular, ele vai ceder”, afirma Kajuru.

Abaixo-assinado e o pedido de impeachment

Criado na segunda-feira 15, o abaixo-assinado pelo impeachment do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes já tem 3 milhões de assinaturas. A iniciativa é do comentarista da CNN Caio Coppolla. O objetivo é que o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), ponha o pedido na pauta. Na ação, pede-se também a instauração da chamada “CPI da Lava Toga” e solicita-se que a Casa analise “robusta denúncia por crimes de responsabilidade praticados pelo ministro do STF, protocolada pelo senador Jorge Kajuru”.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias.
Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.
-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.