Moraes nega transferência de Roberto Jefferson a hospital

Ministro do STF diz estar 'perplexo' com o pedido do ex-deputado

A Oeste depende dos assinantes. Assine!

-Publicidade-
Roberto Jefferson pede transferência para hospital particular na Barra da Tijuca
Roberto Jefferson pede transferência para hospital particular na Barra da Tijuca | Foto: Divulgação/SEAP

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), rejeitou nesta sexta-feira, 25, em decisão monocrática, o pedido da defesa do ex-deputado federal Roberto Jefferson (PTB) para que o político fosse para o Hospital Samaritano Barra. Ele está preso em Bangu 8.

Moraes afirma que a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap-RJ) indicou a plena capacidade de o estabelecimento prisional efetivar o tratamento de que Jefferson necessita. A Seap informou que o ex-parlamentar apresenta quadro de “discreta anemia”. Os exames indicados pelo médico particular de Jefferson podem ser realizados pelo sistema prisional ou pelo Serviço Único de Saúde (SUS).

-Publicidade-

Outra circunstância que, na avaliação do ministro, impede a transferência do preso é o fato de o ex-deputado, quando teve a transferência autorizada para hospital particular, ter violado medidas impostas contra ele, especialmente com o uso de pessoas para divulgar vídeos nas redes sociais e repassar orientações aos dirigentes do Partido Trabalhista Brasileiro.

Na decisão, o magistrado argumenta que está “perplexo” com o pedido da defesa, já que “poucas semanas depois de o réu ter recebido a Polícia Federal com dezenas de tiros de fuzil e arremesso de granadas”, não demonstrou “estar na situação debilitada apontada”.

Prisão de Jefferson

O ex-deputado atirou contra a PF, em outubro de 2022, quando agentes foram cumprir um mandado de busca, apreensão e prisão em sua casa. Quando ocorreu o episódio, Jefferson estava em prisão domiciliar. Ele também violou a regra de divulgar vídeos nas redes sociais, ao publicar uma filmagem xingando a ministra do STF Cármen Lúcia.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

5 comentários Ver comentários

  1. PERPLEXO ESTÁ O CIDADÃO CONTRIBUINTE, NÃO ENTENDENDO POR QUE UMA
    PESSOA QUE NÃO TEM IMUNIDADE PARLAMENTAR ESTÁ PRESA EM VIRTUDE DE
    INQUÉRITO ABERTO PELO STF! SE ESSE MESMO TRIBUNAL ENTENDEU QUE UM ELEMENTO NÃO PODERIA SER JULGADO EM DETERMINADO FORO TERRITORIAL, QUE É UMA INCOMPETÊNCIA RELATIVA, COMO É DO CONHECIMENTO DE QUALQUER ESTUDANTE DO DIREITO, QUAL ENTÃO A COMPETÊNCIA DO STF NO CASO PRESENTE? PARECE QUE HÁ ALGO DE ESTRANHO NO REINO DA XANDOLÂNDIA!

  2. Bem que o Bolzão podia dar uma graça à maior vítima maior da politicalha ladravaz deste chiqueiro fétido e infecto … que vingança torpe, imoral e criminosa e algum advogado em nome da SOS Mata Atlântica ou do Clube dos Vira Latas (ONG protetora de cães) bem podia pedir a prisão hospitalar avocando a lei de proteção aos animais … felizes os cães do patropi “abencuá pur Dê e buni pur naturê” que não tem de suportar o ditador mor deste chiqueiro.

  3. O A. M. está ASSASSINANDO o Bob Jeff em praça pública e, pior, de forma homeopática. Ele é um ASSASSINO e merece cadeia por isso. Por essas e outras, amanhã estarei na porta do quartel da minha cidade, Salvador-BA. Eu não quero que minhas mãos estejam sujas com o sangue de pessoas justas. Sim, o Bob é justo e pagou sua dívida para com a sociedade.

    1. É verdade. Se os milicos não tomarem uma atitude, daqui a cinco, dez anos serão responsabilizados por deixar o Brasil tornar-se uma cruel ditadura comunista.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.