Pazuello: Se vier autorização clara flexibilizando, compramos da Pfizer e Janssen

Ministro da Saúde reforçou que o assunto está sendo discutido pelo Executivo e pelo Congresso Nacional
-Publicidade-
Ministro da Saúde, Eduardo Pauzello, presidente da República, Jair Bolsonaro, e outras autoridades
Ministro da Saúde, Eduardo Pauzello, presidente da República, Jair Bolsonaro, e outras autoridades | Foto: Reprodução/TV Brasil

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, afirmou nesta quarta-feira, 24, que as vacinas produzidas pelos laboratórios Pfizer e Janssen serão adquiridas pelo governo brasileiro caso haja uma “autorização clara” que flexibilize a legislação atual.

Em visita ao Acre, Pazuello reforçou que o assunto está sendo discutido pelo Executivo e pelo Congresso Nacional.

-Publicidade-

Leia mais: “Vacina da Johnson é eficaz contra variante sul-africana”

“Temos sido muito duros e eles mais duros do que a gente, ou seja, eles não afrouxam uma vírgula”, declarou o ministro em coletiva de imprensa realizada em Rio Branco.

No último domingo, 21, o Ministério da Saúde recorreu ao Planalto para viabilizar as negociações com os laboratórios. Na terça-feira 23, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), apresentou um projeto que autoriza União, Estados e municípios a assumir os riscos referentes à responsabilidade civil pela compra de vacinas.

Posição de Bolsonaro

Também em visita ao Acre, o presidente Jair Bolsonaro citou que os contratos com os laboratórios incluem cláusulas de não responsabilização dos fabricantes dos imunizantes por eventuais efeitos colaterais. Por causa disso, o presidente ressaltou que quem der a última palavra sobre a autorização de compra das vacinas terá nas mãos uma questão de “extrema responsabilidade”.

“É uma coisa de extrema responsabilidade quem porventura no Brasil tiver que dar a palavra final, se sou eu como presidente, se é o Parlamento derrubando um possível veto ou se é o Supremo Tribunal Federal”, disse. “Agora, todas as cláusulas serão mostradas à população para que na ponta da linha cada um saiba o que está sendo aplicado”, observou.

Com informações do Estadão Conteúdo

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.